Testamos: versão de entrada do Hyundai HB20 agrada com motor 1.0 esperto

NotíciasTestes 12 de outubro de 2017 Maria Beatriz Vaccari e Leo Alves 2

Desde seu lançamento, em 2012, o Hyundai HB20 mostrou que chegou para cair no gosto dos brasileiros. Depois de testar o veículo por 12 dias, a reportagem do Garagem 360 entendeu porque o modelo é o segundo mais vendido do País. O principal destaque é o desempenho do motor 1.0, com 80 cv e 10,2 kgf.m de torque. Mesmo com cinco passageiros e ar-condicionado ligado, o carro embalou bem em subidas e não decepcionou. Ele foi abastecido com etanol e fez uma média de consumo de 8,5 km/l na cidade e aproximadamente 12 km/l na estrada.

LEIA MAIS: Testamos: Nissan March 1.6 SL é um esportivo amansado pelo câmbio CVT
Testamos: Honda WR-V herda as qualidades do Fit – e tem mais altura em relação ao solo

Quem quiser mais potência pode optar pela versão equipada com o Motor Kappa 1.0 Turbo, que custa cerca de R$ 7 mil a mais do que a linha de entrada. O propulsor bate de frente com modelos 1.6 e 1.5 de outras montadoras, alcançando até 105 cv de potência e 15 kgf.m de torque.

Outro fator que agrada é o câmbio curtinho e a embreagem leve. O conjunto deixa a troca das marchas mais precisa e confortável. Falando em conforto, os bancos e os instrumentos do painel são bem posicionados e também ajudam na hora da condução, principalmente os comandos embutidos na direção.

Raio-X

Hyundai HB20 1.0 Comfort

Motorização: 1.0l 13 válvulas 80 cv (etanol/gasolina)

Torque máximo líquido: 10,2 kgfm a 45000 rpm/ (etanol/gasolina)

Transmissão: manual de cinco marchas

Dimensões: 3,92 m x 1,68 m x 1,47 m (comprimento x largura x altura)

Distância entre eixos: 2,5 m

Peso em ordem de marcha: 990 kg

Tanque de combustível: 50 L

Porta-malas: 300 L

Preço: R$ 43 mil

Pontos positivos: motor com bom desempenho, boa dirigibilidade e design autêntico

Pontos negativos: pouco espaço no banco traseiro e baixa visibilidade

Na parte interna, a Hyundai acertou ao se preocupar com os acabamentos. As partes feitas em plástico, por exemplo, não passam uma sensação de fragilidade. Entretanto, é preciso destacar que a cabine peca em alguns fatores. O espaço para as pernas dos passageiros que viajam no banco traseiro, por exemplo, é bem estreito. Apesar de bonito, o design do vidro de trás oferece pouca visibilidade quando o motorista olha pelo espelho retrovisor central.

LEIA MAIS: Testamos: Honda HR-V Touring entrega boa dirigibilidade e conforto, mas peca em alguns itens de série
Testamos: novo Chevrolet Tracker tem desempenho de sobra com motor turbo

O sistema de conectividade e rádio também agradou. Durante horas, a reportagem do Garagem 360 usou a conexão via Bluetooth sem registrar nenhuma falha. O mesmo aconteceu quando o smartphone foi sincronizado com o carro por meio da entrada USB.

Apesar de não oferecer um baita espaço para o transporte de bagagens, o tamanho do porta malas do HB20 agrada. Os 300 litros comportados pelo veículo da Hyundai superam o espaço oferecido pelos dois outros modelos que completam o ranking de carros mais vendidos do Brasil – o Chevrolet Onix acomoda até 280 litros e o Ford Ka consegue levar até 237 litros.

Vale a compra?

A versão de entrada do HB20 é uma boa pedida para quem busca um modelo popular. Além de contar com um motor 1.0 que não deixa o condutor na mão, o veículo oferece bastante conforto por um preço compatível com o de seus principais concorrentes – ele é vendido a partir de R$ 43 mil. Principalmente para quem roda muito, vale a pena fazer um teste drive e dar uma chance ao carro da montadora coreana.

 

 
 
<
>

 

  • TSI

    HB20 e UP são os melhores populares, sem dúvida!
    “Principalmente para quem roda muito, vale a pena fazer um teste drive e dar uma chance ao carro da montadora japonesa.”
    Hyundai não é coreana?

    • sergiovinciusbuchabick

      Opa, olha o lapso. Já consertei.

      Valeu!