Demorou quase 50 anos, mas finalmente o Ford Mustang passou a ter uma suspensão mais moderna na nova geração. Até o lançamento do modelo atual, em 2015, o muscle car utilizava o sistema de eixo rígido na traseira. Agora, ele conta com um conjunto independente nas rodas posteriores, que também tem o auxílio de amortecedores magnéticos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Isso permite que o sistema se ajuste de acordo com as condições da pista e do modo de condução selecionados pelo motorista. Os amortecedores MagneRide são equipados com um fluido viscoso eletromagnético e sensores que ajustam instantaneamente o comportamento da suspensão para oferecer a melhor resposta em cada situação. O resultado é maior conforto em retas e um desempenho mais firme em curvas.

Como funciona

Para funcionar, o sistema utiliza um fluido magnetoreológico (MRF). As partículas desse óleo reagem quando um campo eletromagnético é aplicado e mudam a sua viscosidade. Isso altera o comportamento na absorção de impactos. Outra característica dessa tecnologia é o seu controle mais preciso. Isso por causa da variação de intensidade do campo eletromagnético.

LEIA MAIS: Ford Mustang começa a ser vendido no Brasil por R$ 299.900; veja fotos do modelo

Dicas de segurança para dirigir na neblina

Os sensores monitoram as condições da pista e os eletroímãs controlam as partículas de ferro suspensas no óleo. O campo magnético é ajustado automaticamente 1 mil vezes por segundo para alinhar as partículas em cada amortecedor. Essa tecnologia também é utilizada em próteses de última geração de atletas amputados que praticam esportes radicais, como snowboard e esqui.

Confira no vídeo do canal da Ford no YouTube mais detalhes do funcionamento do sistema.