Dicas de segurança para dirigir na neblina

Destaques 14 de maio de 2018 Da Redação, com assessoria 0

A formação de neblina nas estradas é bem comum no Brasil. O nevoeiro nada mais é do que um fenômeno atmosférico associado à presença de umidade no ar e às baixas temperaturas. Para o motorista, o maior perigo disso está na perda de visibilidade.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Geralmente, rodovias em regiões próximas a matas, como trechos de serra, são mais propícias à condensação de neblina – principalmente logo pela manhã e no final da tarde. As condições ficam tão críticas em alguns pontos que muitas concessionárias de rodovias acabam impedindo a circulação de veículos, represando-os nas praças de pedágio até que a visibilidade atinja um nível de segurança aceitável para o trecho.

O CESVI/MAPFRE (Centro de Experimentação e Segurança Viária) preparou um boletim técnico sobre o assunto. Veja as principais recomendações:

Dicas para dirigir na neblina

  • É recomendado que o motorista sempre use os faróis baixos. Em casos de neblina, nunca ligue o farol alto, pois ele acaba refletindo nas pequenas gotículas do ar úmido, ofuscando ainda mais a visibilidade do motorista e do outro veículo que estiver vindo em sentido contrário.
  • Acione o pisca-alerta somente em caso de emergência ou pane. Caso contrário, poderá dar a impressão de que o seu veículo está parado na pista de rodagem, com risco de acidente para os demais veículos que se aproximam.
  • Aumente a distância do veículo à frente, o que trará mais segurança em uma frenagem de emergência.
  • O uso do farol de neblina (não de milha) é ideal. Em muitos carros, esse farol possui um segundo estágio que aciona uma luz mais forte na traseira, auxiliando a visibilidade para o veículo que vem logo atrás.
  • Outra questão importante são as condições da pista. As gotículas de neblina acabam se depositando sobre o piso, reduzindo a aderência do pneu e podendo provocar derrapadas.
  •  Lembre-se: trechos de neblina exigem olhar atento, baixa velocidade e prudência.