Motociclistas se aventuram em viagens pelo mundo

Notícias 4 de abril de 2016 Maria Beatriz Vaccari 0

Para o passeio dar certo, é necessário planejamento e organização

Viajar a bordo de suas motocicletas são verdadeiros sonhos para os apaixonados pelo mundo das duas rodas. E se a aventura for longa, cruzar países e continentes, melhor ainda. Pois foi justamente isso o que fizeram os amigos Arnaldo Bianco Filho, de 48 anos, Wilson Felix da Silva, de 49 anos, e Carlos Daniel, de 50 anos. Em novembro do ano passado, os três realizaram a road trip Easy Rider Sulamerica 2. A viagem, que durou 20 dias, foi feita trafegando pela Ruta 40, desde Mendoza, na Argentina, até a divisa com o Chile, em Puerto Natales. Os viajantes partiram de São Paulo a bordo de duas BMW Jet 1200 e uma Honda MC750.

Foto: Arquivo Pessoal
|Foto:
No final de 2015, Carlos Daniel, Wilson Felix da Silva e Arnaldo Bianco Filho cruzaram Argentina e Chile de moto

O passeio surgiu com o intuito de fomentar as viagens de moto e provar que todos podem e devem aproveitá-las, ao melhor estilo mochileiro. Para completar o roteiro no tempo estimado, os três motociclistas passaram muitas horas pilotando. “Tudo dependia das condições climáticas que pegávamos. E elas variaram bastante. Enfrentamos sol, chuva, neve e ventos laterais de até 80 km/h. Mas em todos os dias percorremos no mínimo 600 e no máximo 1000 quilômetros”, relembra Bianco Filho.

Apesar de não terem enfrentado nenhum problema sério durante o percurso, o aventureiro destaca que eles estavam preparados: “Levamos algumas ferramentas básicas como alicate, chave de fenda e lanterna. Com elas, poderíamos ter resolvido eventuais panes mais simples, mas acabou não sendo necessário”, comemora. Mesmo assim, alguns cuidados foram necessários. Os amigos, por exemplo, pararam para trocar o óleo uma vez durante o percurso e lubrificaram as correntes a cada 2000 quilômetros rodados.

E essa aventura não foi a primeira da turma. Em março de 2014, Bianco Filho e Silva partiram de São Paulo em direção ao Deserto do Atacama, no Chile. Foram 8.500 quilômetros rodados em 13 dias. “Ainda não temos nada certo, mas pretendemos fazer uma próxima viagem juntos no final de 2016”, diz o expedicionário.

Programa de casal

O piloto e mecânico Sidnei Scigliano e a esposa Ana Scigliano também rodaram a América Latina de moto. O casal sexagenário partiu de São Paulo a bordo de uma Kawasaki Versys 1000, que carregava cerca de 50 quilos de bagagem, e foi até o Uruguai. “Para levar tudo, adaptamos dois alforjes. Quem vai viajar deve tomar cuidado com o uso de malas laterais, já que elas aumentam a largura da moto e podem acabar provocando acidentes”, afirmam os aventureiros.

Foto: Aquivo Pessoal
Mauro Damasceno e Zolira Baratto vão percorrer mais de 100 mil quilômetros a bordo de uma BMW G 650 GS  | Foto: Aquivo Pessoal/Divulgação
Mauro Damasceno vai percorrer mais de 100 mil km a bordo de uma BMW G 650 GS

O passeio de cinco mil quilômetros durou 17 dias, e a única manutenção necessária foi a lubrificação da corrente. “Eu fiz esse processo a cada 500 quilômetros rodados em tempo seco e a cada 200 quilômetros em dias chuvosos”, diz Scigliano. Sem deixar o turismo de lado, ele e a esposa não ultrapassavam 600 km por dia, e faziam paradas a cada 100 km rodados.

Quem também está curtindo uma viagem sob duas rodas é Mauro Coutinho Damasceno, de 54 anos. Ele e a esposa Zolira Baratto, a Lila, de 53 anos, partiram de Cascavel, no Paraná, no dia 15 de novembro do ano passado a bordo de uma BMW G 650 GS, apelidada de “Raio de Luar”. A aventura, chamada de Expedição Continente Americano, deve durar três anos e percorrer cerca de 100 mil quilômetros de um pólo a outro do continente americano.

A ideia inicial do casal era viajar junto, porém, Lila teve um problema de coluna e precisou retornar ao Brasil. Agora Damasceno segue sozinho e irá passar por 28 países, entre eles Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname, Guiana, Guiana Francesa, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras, El Salvador, Guatemala, Belize, México, Estados Unidos e Canadá. O objetivo é, além da aventura em si, registrar em fotos o cotidiano dos diversos povos residentes nos locais por onde irão passar e documentar toda a beleza da flora e da fauna e as diferentes culturas.

Experiente, o casal já rodou praticamente o Brasil todo, indo do Oiapoque ao Chuí, de moto. E o passeio até virou livro: “Na Solidão do Meu Capacete… A Viagem”.

Quer viajar?

Foto: Arquivo Pessoal
DSC01169
Pilotos da Easy Rider Sulamerica 2 planejaram roteiro durante um ano

Além do cuidado com a motocicleta, o piloto que pretende fazer uma viagem mais longa deve se preparar. O aventureiro Bianco Filho ressalta que qualquer um pode fazer uma expedição do tipo, mas é essencial gostar e ter condições. “Também é preciso ter bastante planejamento para não perder o foco do percurso. Na nossa, por exemplo, foi praticamente um ano inteiro para organizar as coisas”, relata.

Fora isso, é necessário estar com o psicológico preparado, pois imprevistos podem acontecer – por ser um percurso longo, é bem provável que o viajante se perca ou enfrente condições adversas e cansativas na estrada.

Para Scigliano, o mais importante é gostar de pilotar e saber escolher o modelo ideal. “A pessoa vai passar muito tempo na moto, então, tem de ter conforto. Os modelos Crossover e Big Trail são os mais indicados para viagens longas”, finaliza.