Saiba como agir caso o carro fique preso em uma enchente

Notícias 3 de dezembro de 2019 Da Redação 0

Entre dezembro e março, as chuvas na região Sudeste do Brasil são mais intensas, e a população, principalmente dos grandes centros urbanos, teme com alagamentos nas vias. Alguns comportamentos básicos ajudam a evitar situações de perigo caso o carro fique preso em uma enchente.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

O que fazer caso o carro fique preso em uma enchente

Para Emerson Feliciano, gerente sênior de pesquisa e desenvolvimento do CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária), o condutor que atravessa uma via quando o nível da água expõe o veículo a pane mecânica e elétrica, colocando em risco sua segurança. “A água pode chegar ao motor, causar o calço hidráulico e contaminar o óleo lubrificante. O sistema de transmissão também pode ser afetado, principalmente nos modelos automáticos.”

Na parte elétrica, outras peças e conjuntos podem ser afetados como a caixa de fusíveis, módulos, reles, conectores, faróis e lanternas. Até estofamentos podem ser prejudicados.

LEIA MAIS: 6 dicas essenciais para dirigir em dias chuvosos
Dirija com segurança na chuva

“Não é aconselhável enfrentar uma área alagada. Mas, caso o condutor precise atravessar, é imprescindível que fique com a primeira marcha engatada o tempo todo ou acelere pouco em modelos automáticos, para evitar a entrada de água no interior do motor durante o trajeto”, afirma Emerson.

Vale lembrar que não é recomendado tentar passar por trechos em que o alagamento ultrapasse a altura da metade das rodas do carro, como é informado no manual do proprietário de diversos veículos.

Como evitar prejuízos

• A manutenção preventiva relacionada ao período de chuvas sempre é recomendado. Verifique o estado atual de itens como pneus e palhetas do para-brisa.

• Confira todas as luzes de iluminação do veículo, como setas, faróis e luzes de freio.

• Caso precise enfrentar um alagamento, mantenha a velocidade baixa e em primeira marcha, já que essa ação diminui a variação do nível de água. Para quem tem carros automáticos, a dica é deixar o câmbio na posição “1” ou “L”, caso não haja opções de trocas manuais, pois assim a central vai manter a marcha constante.

• Se o carro morrer em enchentes, não dê a partida novamente. Essa ação força o motor e pode piorar ainda mais a parte elétrica. Além disso, pode causar o calço hidráulico, que é um dano pela entrada de água no cilindro do motor.

• Evite seguir o caminho de ônibus e caminhões. A travessia de veículos pesados pode abaixar a água por um momento, mas as ondas provocadas por eles podem encobrir carros menores, aumentando a probabilidade de acidente.

O que checar no pós-enchente

• Nos itens mecânicos, é necessário observar primeiro o óleo do motor, já que ele é um dos indicadores da presença de água no propulsor.

• Verifique se a água atingiu as áreas de admissão de ar, como o filtro, dutos e coletor de admissão.

• É importante identificar se o veículo teve algum dano em bielas e nos pistões, caso haja admissão de água no interior do motor durante o funcionamento ou após uma partida.

• Na caixa de transmissão, veja se não houve a contaminação do óleo. O alerta é ainda mais importante no caso de veículos com transmissão automática.

• Depois de passar por um trecho alagado, vá direto para a oficina e faça um check-up geral da parte mecânica, elétrica, sistema de ventilação e até do estofamento que está sujeito à contaminação por fungos e bactérias em travessias de alagamentos.

Relembre veículos casca-grossa que deixaram saudade

Um vídeo com uma Kombi rodando mesmo após ter sido atingida por uma árvore fez sucesso na internet. O caso aconteceu em Rio Negrinho (SC), e pode ser visto aqui. A valentia da “velha senhora” em seguir funcionando fez a van entrar para a lista de carros casca-grossa que deixaram saudade criada pelo Garagem360. Além dela, outros ícones nacionais fazem parte da galeria. Confira a seguir quais são esses carros valentes.

Nenhum comentário até agora.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *