Tags

Notícias

Opinião: Vettel enfim recoloca a Ferrari no topo do pódio em Mônaco

Créditos: Foto: Charles Coates/LAT Images/Fotos Públicas

Desde o começo das atividades do GP de Mônaco a Ferrari se mostrou como a força a ser batida. Isso se confirmou com a pole de Kimi Raikkonen no sábado, com Sebastian Vettel logo atrás, e foi atestada com a vitória do alemão, que é mais líder do que nunca do campeonato, e de quebra encerrou o jejum de 16 anos sem vitórias da equipe italiana no principado. Kimi em segundo e Daniel Ricciardo, da Red Bull, em terceiro, completaram o pódio.

A corrida começou sem grandes sustos. Raikkonen e Vettel dispararam na ponta, com o finlandês impondo um ritmo forte desde o inicio. Lá atrás, Lewis Hamilton lutava para tentar superar o 13º lugar do grid com sua Mercedes e ultrapassou a McLaren de Stoffel Vandoorne logo no começo da prova.

LEIA MAIS: Vídeo: Veja raras imagens de como foi o GP de Mônaco de 1957

Dia da Liberdade de Impostos terá Peugeot 208 Active por R$ 37.319

Os rumos da corrida começaram a mudar após a janela de pit stop. Max Verstappen foi o primeiro entre os líderes a fazer sua troca de pneus, na volta 32. Bottas, então terceiro colocado, foi chamado pela Mercedes na volta seguinte. Raikkonen entrou na 34, voltando atrás de Ricciardo e Vettel. Os dois que não pararam, passaram a correr como se estivessem em classificação, fazendo voltas rápidas para tentarem ganhar algumas posições.

E a estratégia deu certo. Vettel parou na volta 39 e voltou na frente de Raikkonen. Ricciardo saltou de quinto para terceiro quando voltou de seu pit stop, na volta 38, e garantiu o pódio monegasco.

Acidentes

Contrariando as expectativas, a prova de Mônaco teve poucos acidentes. Na volta 60, Button se enroscou com Wehrlein na entrada do Túnel. O impacto da McLaren do inglês jogou a Sauber do alemão contra o guard-rail. A batida acionou o safety-car e encerrou a corrida de ambos. Jenson quebrou a suspensão e abandonou sua participação especial na temporada, já que o campeão mundial de 2009 substituiu Fernando Alonso, que correu pelas 500 milhas de Indianápolis.

Na volta 71, Perez acertou sua Force India na Toro Rosso de Kvyat, tirando o russo da corrida. O mexicano seguiu em frente, trocou os pneus, fez a volta mais rápida da prova e terminou em 13º, após ser punido em 10 segundos por conta do acidente.

Além deles, Stoffel Vandoorne e Marcus Ericsson, da Sauber, abandonaram após baterem no muro da Sainte Devote, primeira curva do circuito.

Massa e Hamilton pontuam

Após largarem em 13º e 14º, respectivamente, Hamilton e Massa conseguiram terminar na zona de pontuação. O inglês, vice-líder do campeonato, chegou em sétimo, somando 6 pontos, enquanto que o brasileiro ficou em nono, somando mais dois pontos para a Williams, que até agora só pontuou com o carro de Felipe.

A vitória de Vettel ampliou ainda mais sua liderança. O alemão agora tem 129 pontos no campeonato. Hamilton, após um final de semana ruim em Mônaco, chegou aos 104 pontos. Seu companheiro Bottas é o terceiro com 75 pontos, enquanto que Raikkonen, com 67, e Riccardo,com 52, completam os cinco primeiros entre os pilotos.

A próxima parada da F1 será no Canadá, daqui a duas semanas. Em um circuito veloz, o motor Mercedes pode se sobressair, mas Vettel já demonstrou que está disposto a conquistar seu quinto título, se igualar a Juan Manuel Fangio e quebrar o jejum da Ferrari, que desde 2007 não vê um piloto seu ser campeão.

Foto: Reprodução
Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.