Velas de ignição merecem olhar especial do motorista

Serviços 26 de dezembro de 2016 Rodrigo Loureiro 0

Carro “pulando” ao trocar as marchas, consumindo muito combustível e com pouca força para realizar subidas. Tudo isso pode ser culpa de uma vela de ignição defeituosa. A manutenção deste equipamento é essencial para aumentar a vida útil do veículo, e sua negligência pode levar o motorista a ter que realizar até mesmo uma retífica do motor, reparo de alto custo financeiro.

A vela de ignição tem a função de gerar a faísca que dá início a explosão para impulsionar o pistão e, assim, fazer o motor funcionar de forma contínua. Se apresentar problema, certamente o motorista irá se deparar com alguma das situações sitadas acima na hora da condução, uma vez que o componente não estará enviando força total ao propulsor.

Vela de ignição tem vida útil (Foto: Divulgação)

A durabilidade do componente pode variar de acordo com o material utilizado nos eletrodos. Segundo a Bosch, se ele for nobre (irídio ou platina), a vida útil é de cerca de 100 mil quilômetros, mas, se for de material comum (níquel ou ítrio), diminui para aproximadamente 40 mil quilômetros.

Por isso, o motorista não precisa ficar surpreso com a necessidade de ter que realizar a troca. “A vela sofre desgaste natural dos eletrodos devido ao uso. Trata-se de uma peça com substituição prevista em seu funcionamento”, afirma Fábio Juliato, engenheiro elétrico e gerente de marketing da Bosch.

De acordo com o profissional, “a aparência dos eletrodos e do isolador revelam informações importantes sobre o funcionamento da peça”. Dessa forma, caso apresente fuligem (seca ou oleosa), resíduos de metais (ferro ou chumbo), manchas, partes fundidas devido ao superaquecimento ou trincadas, entre outras irregularidades, é hora de substituí-la.

A troca pode ser feita nas revendas autorizadas das montadoras e em oficinas. A reportagem entrou em contato com concessionárias das marcas Volkswagen, Fiat e Ford, e os preços encontrados variaram entre R$ 130 e R$ 200, já inclusos a mão de obra – estes valores são referentes aos modelos Gol, Palio e Ka, todos com motorização 1.0.

Vela com óleo

Se durante a manutenção o mecânico perceber que a vela está coberta de óleo, pode significar que apenas a substituição do componente não solucionará o caso. “O óleo evidenciado na vela mostra que o motor não está funcionando adequadamente. Recomenda-se, então, a reparação do propulsor, caso contrário, o problema persistirá e até poderá provocar danos mais graves”, finaliza Juliato.