Última parcela do auxílio emergencial aumenta venda de carros no Norte e Nordeste

O auxílio emergencial, concedido pelo governo federal durante a pandemia do novo coronavírus, impulsionou as vendas do setor automobilístico nas regiões Norte e Nordeste. A informação foi apurada por um levantamento que registrou retomada mais robusta e queda menor em relação a 2019 do que as regiões Sul e Sudeste, por exemplo!

publicidade
Última parcela do auxílio emergencial aumenta venda de carros no Norte e Nordeste
Última parcela do auxílio emergencial aumenta venda de carros no Norte e Nordeste (Imagem: Reprodução/Google)

No estado do Pará, por exemplo, 64,5% da população recebeu o benefício, segundo o IBGE. Ao mesmo tempo, a venda de veículos leves registrou um aumento de 33,8% se comparado com os meses de novembro deste ano e de 2019.

publicidade

Já no Maranhão, que teve 65,5% da população beneficiada pelo auxílio, a alta nas vendas no mesmo período foi de 31%.

VEJA TAMBÉM

De acordo com Cassio Pagliarini, sócio da consultoria Brigh, o público dessas compras é composto por donos de mercados, lojas de material de construção e farmácias, entre outros estabelecimentos.

Roberto Cortes, presidente da VWCO (Volkswagen Caminhões e Ônibus), relatou sentir um aumento na venda de veículos de menor porte, similares ao Ford Transit 2021. “Foram os caminhões pequenos e médios que sentiram uma demanda, fizeram com que milhões de brasileiros consumissem durante a pandemia”, disse.

publicidade
auxílio emergencial
Auxílio emergencial foi concedido pelo governo federal durante a pandemia da Covid-19 (Imagem: Reprodução/Google)

Especificamente no Nordeste, nos meses de abril e maio, também houve aumento no número de vendas de motocicletas – o maior do Brasil. Anteriormente, no primeiro trimestre de 2020 e em 2019, as regiões Sul e Sudeste que ocupavam esse posto.

publicidade

“A partir do segundo semestre, todas as regiões voltaram quase ao mesmo patamar do período anterior à pandemia. Após o retorno da produção nas fábricas, houve prioridade na distribuição de motocicletas para as regiões Norte e Nordeste, onde a participação de vendas na modalidade consórcio, são maiores. Com isso, houve maior número de emplacamentos no segundo semestre nessas localidades”, analisou Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Na região Centro-Oeste, o cenário foi de perdas nas vendas de automóveis. “Essa região é fortemente impactada pelo agronegócio e tem uma queda média de 17% nos emplacamentos [ao longo de 2020], enquanto áreas mais dependentes do turismo e dos serviços registram maiores perdas”, explicou Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea.

O que você achou? Siga @sitegaragem360 no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

ASSISTA AGORA
×

Mais veloz que esses carros? Apenas as notícias que traremos até você!

Cadastre-se na nossa newsletter e além de ficar por dentro de todos lançamentos, você também será o primeiro a ser notificado dos nossos testes e outras noticias incríveis por e-mail!
Veja mais ›
Fechar