Testamos: Chevrolet S10 Midnight tem visual marcante, mas peca na segurança

Testes 8 de maio de 2018 Leo Alves 0

A Chevrolet S10 Midnight é a nova versão intermediária da picape média. Lançada em abril, ela aposta no visual todo preto como principal diferencial. Até mesmo os detalhes do interior usam a tonalidade para não destoar do restante do conjunto. Após acompanhar o evento de apresentação do modelo, o Garagem360 testou a novidade. Para isso, uma viagem para o interior paulista foi a rota escolhida para a avaliação do utilitário.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Ao contrário da versão flex, que foi testada no ano passado e rodou a maior parte do tempo na cidade, a Midnight percorreu muitos quilômetros pela Rodovia dos Bandeirantes. Quase 700, para ser mais preciso. A 120 km/h, o desempenho da picape foi satisfatório. Equipada com motor diesel de 2,8l de 200 cv e 51 kgfm de torque, disposição não é problema para a grandalhona.

Mesmo pesando quase 2 toneladas e estando com quatro adultos a bordo, além da bagagem na caçamba, ela responde bem quando o pedal do acelerador é acionado. Por conta de todo esse peso, há uma pequena demora na resposta. Entretanto, quando o motor “enche”, a S10 deslancha. Manter a velocidade máxima da rodovia não é um problema. Pelo contrário, é necessário ficar de olho no velocímetro para não ultrapassar o limite.

LEIA MAIS: Testamos: por R$ 155 mil, Chevrolet Equinox tem potência e conforto à vontade

Álbum: Os melhores carros avaliados pelo Garagem360

O câmbio automático de seis velocidades também casa bem com o conjunto mecânico. Quando percebe que o motorista precisa de mais desempenho, reduz uma ou duas marchas para elevar o giro do motor. Quando nota que o condutor aliviou o pedal, seu trabalho é de aumentar, sempre que possível, as marchas para melhorar o consumo. Na estrada, a média foi de 13 km/l, segundo o computador de bordo.

Conforto de automóvel

Na última década, as picapes evoluíram não só em design, mas em conforto também. As cabines estão mais espaçosas, o acabamento se tornou mais caprichado e elas não pulam mais como um boi de rodeio. A S10 não foge a regra e tem um interior que mais se aproxima ao de um sedã de luxo, do que ao de sua primeira geração. Os bancos são amplos e espaçosos, mas poderiam ser mais macios. A qualidade dos materiais também merecem destaque. Não há nada com aspecto frágil ou mal encaixado.

O acerto de suspensão também é um ponto positivo. Ele é mais voltado para o conforto, mas não deixa a carroceria inclinar muito em curvas de alta velocidade. Ao passar em pisos irregulares, a S10 até pula um pouco, mas nada que cause desconforto nos ocupantes.

A posição de dirigir, como é padrão no segmento, é elevada. Ela não é desconfortável mesmo após horas ao volante, mas teria uma melhor ergonomia se a direção tivesse ajuste de profundidade. Infelizmente só é possível controlar a altura.

Segurança

Um deslize que a S10 Midnight comete é na questão de segurança. Ela é equipada com controle de estabilidade e de tração, mas só há os dois airbags obrigatórios por lei. Por ser um veículo na faixa dos R$ 160 mil, ter mais bolsas infláveis seria um bom reforço para a segurança dos ocupantes. Principalmente ao considerar que a maioria de suas concorrentes têm entre quatro e sete airbags.

Raio-X

Chevrolet S10 Midnight 4X4 Diesel

Motorização: 2,8l turbo diesel 4 cilindros em linha de 200 cavalos a 3.600 rpm

Torque máximo líquido: 51 kgfm a 2 mil rpm

Transmissão: automática de 6 velocidades

Tanque de combustível: 76 L

Dimensões: 5,36 m (comprimento); 1,87 m (largura carroceria); 1,83 m (altura)

Entre-eixos: 3,09 m

Caçamba: 1,48 m (comprimento); 1,53 m (largura); 1134 kg (capacidade máxima)

Peso: 2.016 kg

Preço: R$ 166.690 mil

Pontos positivos: conforto a bordo, visual malvado, economia e força do motor diesel

Pontos negativos: poderia ter mais airbags, ausência do ajuste de profundidade do volante, relação custo-benefício poderia ser melhor

Hora da compra

Por mais que seja uma versão intermediária, a Midnight custa mais que a LT, mas tem a lista de equipamentos semelhante a da configuração mais em conta. O visual todo preto é imponente e recebe elogios até de desconhecidos na rua, mas a S10 poderia oferecer mais ajustes na direção e ter mais airbags para os ocupantes.

Porém, ela é uma picape consagrada no mercado, tem como ponto favorável uma mecânica simples e uma ampla rede de concessionárias no país. Isso, para o público-alvo da Chevrolet, é um importante diferencial, já que muitos a utilizam como um veículo de trabalho pelas fazendas do Brasil.