RJ tem segundo acidente com GNV em pouco mais de uma semana

O GNV cresceu 74% no no comparativo com o primeiro semestre de 2022 e o mesmo período de 2020
O GNV cresceu 74% no no comparativo com o primeiro semestre de 2022 e o mesmo período de 2020 (Foto: Reprodução)
publicidade

Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV. De acordo com Federação Nacional da Inspeção Veicular, o GNV é seguro, mas carros precisam passar por inspeção veicular obrigatória e menos de 30% da frota está com a documentação regular.

Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV; confira os detalhes
Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV; confira os detalhes (Foto: Fenive)
publicidade

Novo acidente envolvendo GNV acontece no Rio de Janeiro

Na manhã dessa sexta (05), um veículo Fiorino teve o seu cilindro estourado enquanto abastecia, na zona oeste do Rio de Janeiro. O acidente é semelhante ao que aconteceu há pouco mais de uma semana. As duas situações possuem algo em comum: o cilindro de GNV irregular.

O Brasil tem hoje cerca de 50 milhões de veículos/automóveis em circulação. Destes, quase 2,6 milhões são movidos a gás natural veicular (GNV), de acordo com os dados de junho da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran).

VEJA TAMBÉM

A parcela de veículos convertidos para GNV é pequena diante da frota total, apenas 5%. No entanto, o que preocupa os especialistas em segurança veicular é o fato de que a maior parte desses carros (72%) está circulando irregularmente, sem a documentação em dia.

publicidade

Um levantamento feito pela Federação Nacional da Inspeção Veicular (FENIVE), com base nos números da Senatran, mostrou que, até junho de 2022, a frota registrada de carros com GNV o Brasil era de 2.643.755.

Por outro lado, apenas 28% possuem o Certificado de Segurança Veicular (CSV) atualizado – documento exigido pela legislação para que os veículos movidos a GNV possam ter o seu licenciamento anual.

publicidade

Ou seja, apenas os 739.537 veículos movidos a GNV que passaram pela inspeção periódica poderiam estar em circulação, se a legislação estivesse sendo respeitada no país.

Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV; confira os detalhes
Cilindro estava em condições irregulares (Foto: Fenive)

Além disso, pesquisas feitas através do aplicativo GNV Legal, que usa como base o banco de dados dos organismos de inspeção veicular do Brasil, mostrou que de 39.954 veículos analisados em 2022 durante abastecimentos em postos de combustível, menos da metade (41,18%) estava com a inspeção veicular em dia.

publicidade

Os demais, 41,01% estavam com a inspeção vencida e 17,80% sequer tinham passado por inspeção veicular.

O diretor executivo da FENIVE, Daniel Bassoli, destaca que é esse tipo de cenário de irregularidades, somada à completa falta de fiscalização por parte das autoridades, que acaba colocando a população em risco e colocando o sistema em xeque quando ocorrem episódios como o que resultou na morte do senhor Mário Magalhães da Penha, 67 anos, no final do mês de julho, em um posto de combustíveis na cidade do Rio de Janeiro.

O cilindro de GNV do carro de Magalhães estourou, atingindo-o e deixando feridas outras pessoas no local. Horas depois do episódio, ele morreu em um hospital carioca.

publicidade

Durante o levantamento preliminar do acidente ocorrido no Rio, especialistas em inspeção veicular que foram até o local verificaram que o cilindro instalado no veículo não era o mesmo que havia sido inspecionado em 2021.

As análises preliminares apontaram que o cilindro que estourou teria sido retirado de um veículo que havia sido roubado em 2016.

“O interior do cilindro mostrava sinais de ter passado por incêndio, foi repintado, adulterado e instalado no veículo. Mas não é possível afirmar se o proprietário do veículo sabia disto. É preciso aguardar o resultado final da perícia para outras conclusões”, comenta o diretor.

publicidade

Infelizmente situação similar aconteceu hoje (05), em um posto de combustíveis no Rio de Janeiro. Nesse caso, um veículo Fiorino teve o seu cilindro estourado. O veículo estava irregular, pois nunca passou por inspeção e o cilindro não tinha condições de uso devido ao estado precário de conservação. Felizmente não houve vítimas.

A cidade do Rio de Janeiro conta com uma lei municipal que prevê verificação do selo GNV para que o veículo seja abastecido (Lei 7.024/2021). Tudo indica que esta legislação não foi cumprida pelos estabelecimentos onde ocorreram os sinistros, apesar de estar em vigor.

Bassoli ressalta que o sistema GNV é seguro, porém existem procedimentos que são obrigatórios tanto na instalação quanto na manutenção. A inspeção veicular periódica é uma das exigências legais para que o carro que passou pela conversão possa circular regularmente.

publicidade
Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV; confira os detalhes
Acidente não causou vítimas (Foto: Divulgação)

Conversão deve ser feita por empresas credenciadas

Em geral, o GNV é instalado nos veículos através de um processo simples de modificação veicular: o cidadão solicita autorização prévia ao Detran, realiza a instalação do kit em oficina homologada pelo Inmetro, para então realizar a inspeção veicular em empresas acreditadas pelo Inmetro e licenciadas pela Senatran (ITL – Instituição Técnica Licenciada).

Após a aprovação na inspeção, o veículo recebe o certificado de segurança veicular (CSV) e o selo GNV, para então ser regularizado no Detran, que inclui o combustível no documento.

publicidade

Todos os anos os veículos com GNV devem passar por inspeção periódica para verificação do sistema GNV e demais sistemas de segurança do veículo.

Quando aprovado, o proprietário do veículo recebe um novo selo GNV, de porte obrigatório. A cada cinco anos o cilindro deve passar por um processo de requalificação para avaliação das suas características mecânicas.

Com a conversão para GNV, o veículo passa por um processo de alteração de suas características de fábrica, daí a necessidade de um novo CRV.

publicidade

Bassoli alerta que, para que esse processo de conversão para gás natural veicular ocorra de forma adequada, o proprietário do veículo precisa estar atento a três questões:

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

  • Produtos certificados pelo INMETRO;
  • Oficinas registradas para a conversão e a verificação de segurança do veículo em um organismo de inspeção veicular acreditado pelo Instituto de Metrologia,
  • Qualidade e Tecnologia (INMETRO).

“O selo GNV é uma forma de evitar a utilização de produtos sucateados, a execução do serviço por pessoas não habilitadas e ainda proporciona a rastreabilidade e a segurança ao dono do veículo”, explica.

publicidade
Na manhã de hoje, 05, um novo veículo se envolveu em acidente após abastecer o cilindro de GNV; confira os detalhes
Maioria dos carros estão irregulares (Foto: Fenive)

 

O que você achou? Siga @sitegaragem360 no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Nicole Santana
Nicole SantanaJornalista e especialista em comunicação empresarial, com bagagem de mais de três anos atuando ativamente no setor automotivo e premiada em 2016 por melhor reportagem jornalística através do concurso da Auto Informe. Atualmente dedica-se à redação do portal Garagem 360, produzindo notícias, testes e conteúdo multimídia sobre o universo automobilístico.
ASSISTA AGORA
×

Mais veloz que esses carros? Apenas as notícias que traremos até você!

Cadastre-se na nossa newsletter e além de ficar por dentro de todos lançamentos, você também será o primeiro a ser notificado dos nossos testes e outras noticias incríveis por e-mail!
Veja mais ›
Fechar