Quer saber como funcionam os sistemas de tração? A Ford explica!

Notícias 10 de março de 2016 Talita Morais 0

Montadora mostra como agem os dispositivos dianteiro, traseiro, 4×4 e AWD (All Wheel Drive)

Ainda no primeiro semestre de 2016 desembarcarão no País os Ford Edge e Ranger 2017. Os modelos contam com novos recursos de eletrônica, entre os quais os sistemas de transmissão 4×4 e AWD de última geração. Mas você sabe como funcionam estes dispositivos?

Para sanar as dúvidas dos consumidores, a montadora norte-americana preparou um guia. Nele, é possível conferir como agem os diferentes tipos de tração dianteira, traseira, 4×4 e AWD (All Wheel Drive), sua aplicação e vantagens em cada situação de rodagem. Confira abaixo.

Tração 4×4

Na tração 4×4, a potência do motor é distribuída nas quatro rodas. Ela é usada em picapes e veículos off-road, como a Ranger. Os principais avanços desse sistema se devem à inclusão de recursos eletrônicos. No caso da nova picape, o controle eletrônico da caixa de transferência permite mudar a tração de 4×2 para 4×4 por meio de um botão no painel com velocidade de até 120 km/h. Tem também a opção reduzida Low, que aumenta a força em terreno pesado.

Tração AWD

Conhecida como tração integral inteligente, a AWD conta com sensores que monitoram as condições do veículo a cada 16 milissegundos para distribuir a energia somente onde ela é necessária, seja nas rodas dianteiras, nas traseiras ou em todo o conjunto.

Disponível no crossover Edge – e em outros modelos como o EcoSport e o Fusion –, este sistema, segundo a montadora, oferece um desempenho equilibrado, combinando condução suave, silenciosa e econômica na estrada com capacidade todo-terreno em situações de baixa aderência, fora de estrada ou reboque.

Tração 4×2 dianteira e traseira

Na tração dianteira – atualmente usada em carros de uso misto como Ka, New Fiesta, Focus e parte da linha EcoSport – a força do motor é enviada às rodas dianteiras. Com o motor, a caixa de câmbio e o conjunto mecânico concentrados na parte da frente do carro, é possível diminuir o peso, melhorar a eficiência de combustível e liberar espaço na cabine para passageiros e bagagem. O peso do motor sobre as rodas tratoras também ajuda a aumentar a aderência dos pneus na pista.

Nos esportivos e carros com motores superpotentes, como o Mustang, o ideal é usar a tração traseira. Neste caso, a potência é enviada às rodas traseiras e permite que as dianteiras atuem somente na direção. Isso traz uma sensação de condução mais ágil e esportiva, especialmente em modelos de alto desempenho.

Alguns esportivos ainda trazem o motor no meio, ou mesmo na parte de trás do chassi, mas a maioria dos carros desse tipo tem motor na dianteira e transmite a força para as rodas traseiras por um eixo que atravessa o automóvel, melhorando o equilíbrio e a estabilidade.