Por que o BYD Dolphin mal chegou e já vende tanto? Respondemos em 5 motivos

O BYD Dolphin é o carro 100% elétrico mais vendido de agosto, de acordo com a Associação Brasileira de Veículos Elétricos. Foram 371 emplacamentos no mês, superando os concorrentes diretos e indiretos do setor.  

Parece pouco, mas não é, principalmente se você avaliar que há poucos anos, esse número representava a venda de todos os eletrificados vendidos no país em um ano.

Mas porque tanto sucesso? Listamos 5 motivos. 

VEJA TAMBÉM

BYD Dolphin
BYD Dolphin já é o carro elétrico mais vendido no Brasil em agosto. Foto: Divulgação

5 motivos do BYD Dolphin vender tanto

Antes de mais nada, vamos aos motivos:

Preço

Não é o veículo elétrico mais barato, visto os preços do Chery iCar (R$ 119.000) e JAC JS1 (R$ 139.990), porém é o mais confiável em sua faixa de preço. Inclusive, esses carros só ficaram mais baratos após o lançamento do Dolphin no país. 

Vendido por R$ 150 mil, o BYD Dolphin é relativamente acessível, principalmente se você avaliar o preço de outros eletrificados, como os da Volvo, que partem dos R$ 200 mil com a chegada do EX30. 

Desempenho

O Dolphin não faz sucesso no mundo à toa. O carro é construído sobre a e-Platform 3.0, arquitetura para veículos 100% elétricos exclusiva da marca chinesa. 

Não é um dos maiores, mas nem precisa ser, já que tem um apelo mais urbano de carro usado no cotidiano, com maior agilidade e facilidade em estacionar.

As dimensões são semelhantes às do HB20 hatch: 4,12 metros de comprimento, 1,77 m de largura e 1,57 m de altura.

BYD dolphin interior
Interior do hatch – confortável e tecnológico. Foto: Divulgação

Além disso, conta com o motor elétrico de 95 cv e 18,3 kgfm, capaz de fazer de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e atingir uma velocidade máxima de 160 km/h.

Autonomia

Outro diferencial do hatch é sua autonomia. De acordo com o Inmetro, as  baterias de 44,9 kWh LFP Blade possuem uma autonomia de até 291 km com uma recarga.

Já nas contas da empresa, que usa como base o ciclo WLTP, essa autonomia é maior, de 350 km. 

Globalização do veículo 

Recentemente, a BYD afirmou que em dois anos de lançamento, o veículo já vendeu 462.000 unidades em todo o mundo.

Em agosto foram mais de 32 mil unidades, o que dá mais de mil vendas globais por dia , encabeçada não só pela China, mas também por outros países da Ásia, América Latina e timidamente a Europa. 

Maior confiança do brasileiro

Apesar do Brasil ainda não contar com uma infraestrutura sólida de recarga e os preços não serem os mais atrativos, muitos brasileiros ainda acreditam numa maior eletrificação da frota. 

Assim, decidem começar com um modelo eficiente, que recebe boas avaliações e é mais acessível. 

E você? Teria coragem de comprar um BYD Dolphin?

Robson QuirinoSou Robson Quirino. Formado em Comunicação Social pelo IESB-Brasília, atuo como Redator/ Jornalista desde 2009 e para o segmento automotivo desde 2019. Gosto de viagens rápidas, mas sonho em viajar em um cosmic car para o espaço sideral.
ASSISTA AGORA
Veja mais ›
Fechar