Opinião: Charles Leclerc vence e garante festa da Ferrari no GP da Itália

Notícias 9 de setembro de 2019 Leo Alves 0

Charles Leclerc subiu ao lugar mais alto do pódio pelo segundo domingo consecutivo. Dominante em todo o final de semana, o piloto levou sua Ferrari nº 16 à vitória em um bom GP da Itália, para a alegria dos torcedores tifosi. Valtteri Bottas e Lewis Hamilton até tentaram estragar a festa italiana, mas tiveram que se contentar com lugar ao pódio, levando a Mercedes ao 2º e 3º posto, respectivamente.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

GP da Itália: como foi

Após um triste final de semana na Bélgica, o mundo do automobilismo foi recebido com uma grande festa para a corrida na Itália. E, para a alegria dos torcedores locais, a Ferrari impôs um ritmo forte desde a sexta-feira. O favoritismo foi confirmado no sábado, com Charles Leclerc conquistando a pole position em um dos treinos mais bizarros da história da categoria.

No domingo, Leclerc fez uma boa largada e segurou bem a ponta. Já Sebastian Vettel, em mais um dia de cão, largou mal e chegou a perder a quarta colocação para a Renault de Nico Hulkenberg, recuperando a posição na volta seguinte. Porém, foi na volta seis que o alemão da Ferrari protagonizou uma cena patética. Ele perdeu o controle do carro na Variante Ascari e rodou. Ao tentar voltar para a pista, tocou seu bico na Racing Point de Lance Stroll, que também girou na pista. O canadense, por sua vez, causou outro incidente ao pressionar a Toro Rosso de Pierre Gasly para fora do traçado. Uma lambança federal.

Todo esse salseiro fez com que Vettel fosse para os boxes trocar seu bico e espetar pneus duros no carro. Como desgraça pouca é bobagem, o tetracampeão ainda foi penalizado com um stop and go de 10 segundos, já que foi o responsável por toda a confusão. Stroll também foi punido, mas com um drive through, uma pena mais branda.

Leclerc resiste

Com Sebastian no fim do grid, coube a Leclerc resistir sozinho os ataques das duas Mercedes. Dos três, Hamilton foi quem parou primeiro, na volta 19, um giro antes de Charles. Enquanto o inglês colocou pneus médios, o monegasco apostou nos duros. Bottas foi quem demorou mais para fazer o pit stop, entrando apenas na volta 27 e trocando para os mesmos compostos de seu companheiro de Mercedes.

Por estar com pneus mais rápidos, Hamilton partiu para o ataque de Leclerc. Na volta 23, o pentacampeão tentou fazer a ultrapassagem na Variante della Roggia, mas Leclerc fechou a porta e o britânico passou reto. Charles acabou sendo advertido pela manobra, mas sem punições.

Hamilton até se aproximava nas curvas, mas o motor Ferrari falava alto nas longas retas de Monza, dificultando a vida do inglês. Os dois chegaram a errar na primeira curva, mas Leclerc segurou a ponta mesmo com o erro. Lewis não teve a mesma sorte e caiu para terceiro, já que Bottas tinha um ritmo melhor e estava colado no inglês.

LEIA MAIS: Harley-Davidson, Kawasaki, Indian: veja algumas das motos mais legais do mundo

Safety Car: veja quais são os carros de segurança mais legais do automobilismo

Sonhando com a vitória, o piloto da Mercedes nº 77 partiu para cima de Leclerc. Porém, o dia era do monegasco que resistiu, viu o finlandês cometer alguns erros e conseguiu sua segunda vitória consecutiva na Fórmula 1. De quebra, ele encerrou o jejum de nove anos sem vitória da Ferrari na Itália.

A Renault também foi outro destaque da corrida, terminando em quarto e quinto, com Daniel Ricciardo e Hulkenberg, respectivamente. Completaram a zona dos pontos: Alexander Albon (Red Bull), Sergio Perez (Racing Point), Max Verstappen (Red Bull), Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e Lando Norris (McLaren).

Vencedores e perdedores

O grande nome da corrida foi Charles Leclerc. Além de se segurar na ponta, ele dominou todo o final de semana e mostrou que é uma das grandes promessas dessa geração. Vettel, por sua vez, não tem nada a comemorar, vivendo uma das piores fases de sua carreira. Mesmo chegando em terceiro, Hamilton sai da Itália como chegou: líder e com uma mão na taça do hexacampeonato.

E Max Verstappen novamente errou durante a largada. Saindo a última posição do grid, o holandês se chocou com uma Racing Point na largada e danificou sua asa. Mesmo assim, conseguiu remar e garantiu alguns pontos. Outras decepções foram McLaren e Alfa Romeo. A primeira jogou fora a corrida de Carlos Sainz ao liberá-lo do pit stop com uma das rodas soltas. forçando o abandono. Já o time italiano fez com que Kimi Raikkonen sofresse uma punição por largar com os pneus errados.

Abaixo, confira como ficou a classificação final do GP da Itália de 2019.

POS NO DRIVER CAR LAPS TIME/RETIRED PTS
1 16 Charles Leclerc FERRARI 53 1:15:26.665 25
2 77 Valtteri Bottas MERCEDES 53 +0.835s 18
3 44 Lewis Hamilton* MERCEDES 53 +35.199s 16
4 3 Daniel Ricciardo RENAULT 53 +45.515s 12
5 27 Nico Hulkenberg RENAULT 53 +58.165s 10
6 23 Alexander Albon RED BULL RACING HONDA 53 +59.315s 8
7 11 Sergio Perez RACING POINT BWT MERCEDES 53 +73.802s 6
8 33 Max Verstappen RED BULL RACING HONDA 53 +74.492s 4
9 99 Antonio Giovinazzi ALFA ROMEO RACING FERRARI 52 +1 lap 2
10 4 Lando Norris MCLAREN RENAULT 52 +1 lap 1
11 10 Pierre Gasly SCUDERIA TORO ROSSO HONDA 52 +1 lap 0
12 18 Lance Stroll RACING POINT BWT MERCEDES 52 +1 lap 0
13 5 Sebastian Vettel FERRARI 52 +1 lap 0
14 63 George Russell WILLIAMS MERCEDES 52 +1 lap 0
15 7 Kimi Räikkönen ALFA ROMEO RACING FERRARI 52 +1 lap 0
16 8 Romain Grosjean HAAS FERRARI 52 +1 lap 0
17 88 Robert Kubica WILLIAMS MERCEDES 51 +2 laps 0
NC 20 Kevin Magnussen HAAS FERRARI 43 DNF 0
NC 26 Daniil Kvyat SCUDERIA TORO ROSSO HONDA 29 DNF 0
NC 55 Carlos Sainz MCLAREN RENAULT 27 DNF 0

*OBS: Hamilton marcou o ponto extra por ter feito a volta mais rápida da corrida