Mortes e acidentes duplicam por rodovias sucateadas, aponta CNT

mortes e acidentes
Foto: Observatório Nacional de Segurança Vária

Conforme estudos feitos pela Confederação Nacional de Transportes (CNT), as dez rodovias federais consideradas mais perigosas do Brasil contabilizaram 14 mortes por dia no país. O que representa um total de 5.287 vidas interrompidas, além de 63.447 acidentes em 2020. Praticamente, mortes e acidentes duplicaram nestas rodovias.

As rodovias federais tidas como as mais perigosas do país, de acordo com a CNT, passam por 22 estados brasileiros. Elas possuem características diferentes. Porém, têm em comum deficiências na infraestrutura, ou seja, estão sucateadas.

Estudos feitos pela CNT mostram que problemas na sinalização, na conservação das rodovias e traçados ruins podem dobrar os riscos de acidentes”, afirma o diretor da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra), Alysson Coimbra, que também é coordenador da Mobilização Nacional de Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito.

Além do alto número de acidentes em 2020 e mortes, o cenário traz impactos econômicos negativos para o país. Em 2020, foram mais de R$ 10 bilhões gastos com serviços necessários para dar suporte a óbitos e acidentes nestas rodovias. Algo que poderia ser evitado com melhores condições nas rodovias federais.

Ainda de acordo com o diretor da Ammetra, boa parte dessas mortes poderia ser evitada. No caso, se o Brasil, realmente, investisse na revitalização e melhoria da infraestrutura da sua malha viária. No entanto, para Coimbra, o cenário apresentado durante evento chamado de  “Maio Amarelo” mostra que o país caminha na direção oposta.

 

Rodovias mal sinalizadas. Foto: CNT

Atrasos de obras e redução de orçamento resultam em rodovias sucateadas, mais mortes e acidentes

“O atraso em 60% das obras viárias e uma drástica redução no orçamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Além  da redução da fiscalização de trânsito nas rodovias federais, que colocam o Brasil ainda mais distante de atingir a meta da ONU. No caso, para redução de mortes e acidentes”, comenta Coimbra.

Além disso, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) apresentou dados ao presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura. Os dados indicam que o orçamento do DNIT é o menor dos últimos 20 anos. Também, que este orçamento  sofreu uma redução de R$ 3,2 bilhões – em relação ao ano anterior.

“Para as entidades que atuam na segurança do trânsito, o cenário é desolador. Assim, precisamos investir na modernização de nossa malha viária, porém, os recursos são cada vez mais escassos”, completa Coimbra, diretor da Ammetra.

 

BR-116 está entre as rodovias federais mais perigosas do Brasil. Foto: Zero Hora

 

As 10 rodovias mais perigosas do Brasil, segundo a CNT

  1. BR-116
  2. BR-101
  3. BR-153
  4. BR-381
  5. BR-316
  6. BR-163
  7. BR-364
  8. BR-277
  9. BR-262
  10. BR-040

Erica FrancoJornalista por formação, com mais de 15 anos de experiência em redação em geral. Passagens pelo caderno Máquina e Moto Máquina do jornal Agora São Paulo, Folha online, Jovem Pan, Uol, Mil Milhas, Revista e site Consumidor Moderno, Portal No Varejo, entre outros.
Veja mais ›
Fechar