Por que a gasolina está cara? Modificações diárias vão além dos anúncios da Petrobras

Apesar de anúncio recente da Petrobras sobre a queda no preço da gasolina, essa redução ainda não foi sentida de fato pela população, mas por quê?

Por que a gasolina está cara? Modificações diárias vão além dos anúncios da Petrobras
Petrobras anunciou mudanças na política de preços há alguns dias (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Redução do preço da gasolina

Na última semana, a Petrobras anunciou mudança na sua política de preços que terá impacto direto no preço final dos combustíveis do país.

Com isso, cresceu a expectativa para a redução real do valor, sobretudo, da gasolina nas bombas, porém esse efeito vem ocorrendo timidamente.

VEJA TAMBÉM

Outro ponto importante divulgado pela empresa nos últimos dias foi a de buscar maior previsibilidade aos consumidores, garantindo assim, um certo padrão de preços para a população.

No entanto, o que se vê no dia a dia país afora são mudanças tímidas nos preços dos combustíveis. Afinal, o que falta para os reajustes de fato ocorrerem?

Por que a gasolina está cara? Modificações diárias vão além dos anúncios da Petrobras
Apesar de anúncio recente da diminuição do preço da gasolina, valores na bomba tiveram reajustes tímidos (Foto: Freepik)

Preço final inclui outros fatores

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE), as alterações nos preços dos combustíveis tem várias atenuantes e não só dizem respeito as modificações nos preços das refinarias.

Desta forma, por não ser um processo simples, com apenas um envolvido, os reajustes podem demorar a chegar no cliente final como explica Antônio José, assessor de assuntos econômicos do Sindipostos-CE:

Junto ao aumento dos impostos, o preço estipulado pela Petrobras é uma das variáveis mais importantes para haver uma alteração do preço dos combustíveis. Porém, a chamada ‘cadeia de combustíveis’ é composta não só pelas refinarias, mas também pelas distribuidoras e pelos postos de combustível, o que pode tornar o processo de entrega do novo preço ao consumidor final mais lento”.

Essa demora é causada, muitas vezes, pela falta de repasse do reajuste das distribuidoras para o posto, já que a primeira, uma vez adquirindo o produto com preço alto, não aceitam perder lucro, gerando o mesmo efeito para os postos e consequentemente, o cliente final.

Assim, até novos preços de uma reajuste iniciado na Petrobras chegarem ao cliente final, o preço tem que ser experimentado pelas distribuidoras e então pelos postos.

Precificação dos postos

Outro fator que pode interferir no preço final do combustível é a livre concorrência entre os postos.

“Cada dono de posto tem liberdade para estipular seus valores, e muitos deles baixam para obter lucro mais rápido, sendo seguidos pelos concorrentes, de modo a evitar que seu empreendimento seja prejudicado. Dessa maneira, quando há uma baixa em momentos como esse, já não é mais possível baixar o preço, pois o desconto foi feito previamente”, explica Antônio José, presidente do Sindipostos-CE.

Outros fatores que costumam influenciar no repasse do valor que o posto aplica são: custos de transporte, manutenção, segurança, variação do mercado internacional e fretes.

Gervásio HenriqueJornalista com maior experiência profissional no setor automotivo. Atualmente redator do Grupo Gridmidia com foco no portal Garagem360.
ASSISTA AGORA
Veja mais ›
Fechar