Dia do Fusca: Relembre o modelo ressuscitado por Itamar Franco

DestaquesNotícias 19 de janeiro de 2018 Thalita Ribeiro 0

Se passaram 22 anos desde que o último Fusca foi produzido no Brasil. Entretanto, até hoje o seu retorno às linhas de montagem da Volkswagen do Brasil é cercado de histórias. Ele foi produzido, inicialmente, entre o período de 1959 a 1986. Para o retorno, entre 1993 e 1996, a única história confirmada é a de que o presidente Itamar Franco, que deu nome à segunda leva produzida, era apaixonado pelo modelo e fez o pedido de que Besouro voltasse a ser produzido.

LEIA MAIS: Fusca, Chevette, Opala, 147; veja quais são os carros mais queridos pelos brasileiros
De Fusca a F1: Museu da Porsche reúne modelos históricos das ruas e pistas da marca

No começo dos anos 1990, o Brasil estava em um período de alta inflação e desemprego. Fernando Collor de Melo havia sido impeachmado e Itamar Franco, seu vice, assumiu o cargo interinamente até 1995.

Não há confirmação oficial da história sobre o retorno do Fusca. Uma das versões mais factíveis é que Itamar Franco desejava que o Brasil tivesse um automóvel popular. Na época, ele teria ficado inconformado que o modelo mais barato do Salão do Automóvel de 1992 estivesse, em valores atuais, na faixa de US$ 23 mil. Os carros mais vendidos desse ano foram o Gol também da Volkswagen, Fiat Uno e o Chevrolet Monza.

O presidente iniciou as tratativas com a Volkswagen para a volta do Fusca em janeiro de 1993. A volta do modelo foi um marco no surgimento dos carros populares no Brasil. Essa categoria passou a ter cobrança diferenciada do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), com preço máximo estabelecido de R$ 6.800.

Na época, a montadora já havia encerrado a linha de montagem do Besouro. Maquinários usados há sete anos foram vendidos às empresas que fabricavam as peças de reposição do veículo. Como saída, a VW comprou partes de modelos desses fabricantes para remontar a linha de produção.

O investimento da Volkswagen para retorno da produção foi de US$ 30 milhões e gerou 800 novos empregos. Entretanto, a montadora não escapou de críticas na mídia, que considerava o Besouro ultrapassado e inseguro, em comparação aos modelos importados que o país já recebia.

O Fusca Itamar era mais silencioso que o anteriormente fabricado, com melhor desempenho: atingia de 0 a 100km em 14,5 segundos, além de chegar à velocidade máxima de 140km/hora – de acordo com a fabricante. Contudo, na mesma época, o preço do VW era próximo ao do Uno Mile, da Fiat, e do Corsa, da GM, modelos mais modernos.

Ao todo, nos três anos de produção, foram feitos mais de 45 mil unidades do veículo. Antes de encerrar a fabricação novamente, dessa vez de forma definitiva, a Volkswagen lançou a Série Ouro do Fusca. Essa última versão contava com novos mostradores de fundo branco, faróis de neblina, lanternas traseiras fumês e acabamento interno em couro esportivo, utilizado para no VW Pointer GTI.

De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), até outubro de 2017, o Fusca foi o 6º carro mais revendido da VW e o 25º colocado dentre 50 modelos de automóveis usados mais vendidos em todo o Brasil. O encerramento da produção já pode ter mais de duas décadas, mas Besouro continua no dia a dia das pessoas.

Abaixo, confira álbum de carros que foram criados a partir do Fusca:

 
 
<
>

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.