Testamos: Citroën C4 Picasso entrega conforto e tecnologia a todos os ocupantes

Testes 25 de dezembro de 2017 Maria Beatriz Vaccari e Leo Alves 0

O segmento das minivans já foi um dos mais aquecidos do mercado, mas perdeu terreno nos últimos anos. O Citröen C4 Picasso é um dos poucos representantes da categoria, e neste ano ganhou um discreto face-lift. Importado, ele é oferecido em nas versões de 5 e 7 lugares. Foi justamente a menor que foi analisado durante alguns dias pela equipe do Garagem360 e que agradou por toda tecnologia embarcada.

De cara, o visual do monovolume impressiona. As linhas são bonitas e têm um ar futurista, algo que não chega a ser novidade por conta da tradição da Citroën nos desenhos de seus carros. Porém, os principais destaques do modelo são os itens tecnológicos. Ao entrar na cabine, a tela de 12 polegadas do painel de instrumentos e a central multimídia de 7 polegadas se destacam na porção central do console.

LEIA MAIS: Testamos: Chevrolet S10 LTZ flex com câmbio automático agrada tanto na cidade como no campo
Testamos: novo Chevrolet Tracker tem desempenho de sobra com motor turbo

A maior é incrível. O mais legal é que dá para dividi-la em até três telas, que exibem conteúdos diferentes, como o velocímetro, informações da via e GPS. Uma verdadeira mão na roda, embora demore um pouco para se acostumar com os mostradores na parte central do painel. Já a menor concentra todo o sistema de entretenimento, sendo compatível com Android Auto e Apple Car Play, além de controlar o ar-condicionado de duas zonas e alguns sistemas do veículo, como o Park Assist.

Raio-X

Citroën C4 Picasso

Motorização: 1.6 THP Turbo 4 cilindros em linha de 165 cavalos (gasolina)

Torque máximo: 24,5 kgfm (240 Nm) a 1400 RPM

Transmissão: automática de 6 velocidades

Tanque de combustível: 57 L

Dimensões: 4,42 m (comprimento); 1,82 m (largura carroceria); 1,62 m (altura)

Entre-eixos: 2,78 m

Peso: 1405 kg

Preço: R$ 121.400 mil (versão Seduction)

Pontos positivos: conjunto mecânico potente, espaço interno amplo para todos os ocupantes, itens tecnológicos e teto panorâmico

Pontos negativos: preço alto com todos os opcionais

Para usar o sistema de estacionamento autônomo é preciso ter sangue frio. Ele funciona direitinho, mas assusta os motoristas com movimentos bruscos e que tiram “finas” de outros veículos estacionados na via. É praticamente impossível assistir aos movimentos sem pisar no freio ou tentar pegar a direção – o que não é nada recomendado, já que ela se mexe sozinha com rapidez e pode acabar machucando a mão ou o pulso das pessoas.

Show de sensores

O C4 Picasso é um daqueles carros que precisam de vários sensores de distância por conta de seu tamanho. A Citroën acertou em cheio em posicionar detectores e câmeras nos quatro lados do carro. Se quiser, o motorista consegue até ter uma vista 360° do veículo em movimento. Estacioná-lo, mesmo com seu comprimento passando a casa dos 4,40 m, é muito simples.

O sensor de ponto cego dos espelhos retrovisores é muito bom. Facilita bastante na hora de mudar de faixas, principalmente na estrada. Outro item que tem um desempenho excelente é o sistema de detecção de velocidade máxima. Basta passar por uma placa para o carro atualizar os dadose exibir o limite no painel de instrumentos. Algumas vezes, ele alertou o motorista quando o veículo ultrapassou a velocidade máxima permitida, com a tela exibindo um alerta em vermelho.

O alerta de ultrapassagem de faixa também é bem bacana e ajuda a aumentar a segurança de viagens e passeios. Da primeira vez, o condutor pode até se assustar, porque o veículo dispara um sinal sonoro um tanto o quanto escandaloso e corrige automaticamente o volante. Em uma curva foi possível sentir o veículo sendo freado automaticamente.

Conforto

O C4 Picasso não nega que é um veículo voltado para quem gosta de pegar a estrada. Seus bancos são extremamente confortáveis. É um carro perfeito para quem viaja com a família e pretende passar horas dirigindo. Além do material, que é muito bem acabado e suave ao toque, os assentos são equipados com regulagens elétricas, massageador e até sistema de aquecimento (os dois últimos, só nos bancos dianteiros). Quem vai no assento do carona ainda consegue ativar um apoio para os pés, que permite que a pessoa estique completamente as pernas.

Todos os ocupantes viajam com muito conforto, já que o espaço é muito bom tanto na frente, quanto para quem vai atrás.

Vale a compra?

Com preços a partir de R$ 121.400, o Citroën C4 Picasso concorre mais com SUVs, como o Honda CR-V, Hyundai New Tucson e Jeep Compass, do que com veículos de sua categoria. A Chevrolet Spin, o Kia Soul e o Fiat Doblò, que são alguns dos monovolumes que restaram no Brasil, custam bem menos que o modelo francês. Outra opção familiar é a Volkswagen Golf Variant, cuja versão Highline tem preço sugerido de R$ 107.980.

Por ser uma das poucas opções com proposta familiar acima dos R$ 100 mil, quem procura um veículo nesta faixa de preço deve considerar o C4 Picasso. Há ainda a versão de sete lugares, que é maior no comprimento e custa R$ 10 mil a mais.

Nenhum comentário até agora.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *