Tags

Serviços

Sistema de freio deve ser revisado a cada 10 mil quilômetros

Créditos: Foto: David Monniaux/Reprodução e MorgueFile

Barulho ou vibração durante a frenagem e pedal baixo e duro são indícios de que o conjunto precisa de alguns reparos

Quando o assunto é manutenção, um dos itens mais importantes, sem dúvida, é o sistema de freios. Se não for inspecionado periodicamente, ele pode causar uma série de problemas ao veículo como elevar o tempo de frenagem, prejudicar a estabilidade e apresentar ruídos desagradáveis durante a parada, e, assim, colocar a vida do motorista em risco.

Ao contrário do que as pessoas pensam, o equipamento contempla muito mais do que a pastilha e o disco. Além desses, ele é composto de tambor, lona, cilindro de roda, fluido de freio e cilindro mestre, e a verificação de todo o conjunto deve acontecer a cada seis meses ou 10 mil quilômetros rodados.

“Para manter as pastilhas em boas condições e prolongar a vida útil dos demais elementos, é importantíssimo usar peças indicadas pela montadora e revisar o veículo nos prazos recomendados por elas”, comenta Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.

Segundo Leandro Vanni, engenheiro de serviços do Grupo DPaschoal, ao observar qualquer tipo de barulho ou vibração no momento da frenagem o ideal é levar o carro diretamente ao mecânico. “Pedal baixo e duro são outros indícios de que o sistema precisa de manutenção. E freio de mão alto é sinal de que a peça necessita de regulagem ou até mesmo ser substituída”, explica.

Foto: Divulgação
786404_1
As pastilhas traseiras duram mais e chegam a rodar até 70 mil quilômetros

Modo de condução

Diversos fatores podem contribuir negativamente para a durabilidade dos freios, como a contaminação de agentes externos, a rugosidade do disco, a sobrecarga no freio dianteiro e o modo de dirigir do usuário.

José Macedo dos Santos, proprietário da oficina Auto Mecânica, de São Bernardo do Campo, da Grande São Paulo, explica que quando o condutor acelera demais, ele certamente prejudicará o sistema como um todo, pois acabará freando bruscamente, e isso aumentará a temperatura das peças e, consequentemente, o seu desgaste.

O profissional diz ainda que as pastilhas traseiras têm vida útil entre 60 mil e 70 mil quilômetros. “Esse componente dura mais na tração traseira porque o peso maior, durante a frenagem, se concentra na parte dianteira”, ensina Santos, que cobra a partir de R$ 600,00 para realizar a manutenção geral do automóvel.

Segundo o dono da Auto Mecânica, se as pastilhas forem substituídas na hora certa, o disco só precisará ser trocado na segunda manutenção. E ele recomenda verificar a existência de sulcos nas pastilhas, já que eles podem comprometer a estabilidade do carro durante as frenagens.

Outra dica importante é de Pedro Scopino, administrador da Auto Mecânica Scopino, localizada na Casa Verde, em São Paulo. Ele afirma que para prolongar a vida útil do sistema, além de realizar a manutenção preventiva de acordo com o manual do proprietário, é ideal que o motorista faça a utilização do freio motor.

“Na descida, deve-se engatar marchas reduzidas, a fim de diminuir a velocidade do veículo. Por exemplo, se eu deixar o carro em ponto morto ou em quinta marcha, ele acaba fazendo o percurso em marcha alta. Mas, se eu descer em quarta ou terceira marcha, o motor segura o automóvel e, consequentemente, acabo pisando menos no pedal do freio. E esse método também ajuda a economizar combustível”, diz Scopino.

Enquanto na Auto Mecânica, de São Bernardo do Campo, a substituição das pastilhas custa a partir de R$ 70,00, na Auto Mecânica Scopino os reparos no sistema partem de R$ 400,00, e a troca do fluido de freio parte de R$ 55,00.

 

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.