Dia do motorista: atitudes para manter a boa convivência no trânsito

Serviços 25 de julho de 2017 Maria Beatriz Vaccari 1

No trânsito, o condutor precisa conviver com carros, caminhões, ônibus, motocicletas, bicicletas e pedestres. O importante é lembrar que todos fazem parte desse sistema e que os veículos maiores devem tomar cuidado com os menores e mais frágeis. Além disso, alguns comportamentos podem ajudar a melhorar a convivência entre esses agentes e, o mais importante, evitar acidentes causados pela imprudência ou falta de atenção.

Calçadas, ruas, avenidas e estradas são espaços compartilhados. Portanto, cada usuário tem seus direitos e deveres. “Recomenda-se que as pessoas sigam as regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e também pensem na cidadania. É preciso se preocupar consigo e com quem está em volta”, aconselha Roberta Mantovani, responsável pelo Núcleo de Educação do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV).

3268645369_8f5f6fbc3b_o
Motociclistas  têm de usar acessórios de segurança e só podem transportar crianças maiores de sete anos

Veículos motorizados

No caso de motos, caminhões, ônibus e carros é fundamental respeitar sempre as leis e as sinalizações de trânsito. “Ultrapassar a velocidade permitida e dirigir alcoolizado, por exemplo, são ações que comprometem a convivência pacífica e a segurança de todas as pessoas que transitam, independentemente da forma”, afirma Ailton Brasiliense, presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e assessor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Assim como os ciclistas, os motociclistas devem usar acessórios de segurança e, nos dias de chuva, roupas especiais. Para os que costumam levar crianças na garupa, a responsável pelo Núcleo de Educação do ONSV faz um alerta: “Elas podem ser transportadas a partir dos sete anos, mas o ideal é só fazer isso quando tiverem altura o suficiente para conseguir apoiar os pés na pedaleira”.

No carro, por sua vez, o motorista deve se deslocar apenas após colocar o cinto de segurança. Vale lembrar que é obrigação dele garantir que todos os passageiros estejam usando o acessório. Além disso, os condutores têm de possuir habilitação específica para o tipo de veículo que pilotam e dentro da validade.

Outros fatores

537774481_2f9459c560_o
Poder público tem o papel de manter vias sinalizadas e ensinar as regras de trânsito

Em dias de tráfego intenso, o ideal é manter a calma. Buzinar excessivamente e xingar os outros não resolve nada. Na maioria das vezes, a causa do estresse é o tempo. Uma dica para evitar atrasos e não ficar nervoso é checar aplicativos de trânsito e se programar para sair um pouco mais cedo. Também é importante não entrar em desafios e cair em provocações.

Outra questão que pode atrapalhar a boa condução e, consequentemente, o bom convívio no trânsito é o cansaço, especialmente entre caminhoneiros e motoristas de ônibus, devido às longas jornadas de trabalho.

Isso acontece porque a pessoa fadigada deixa de prestar a atenção e pode acabar, por um descuido, prejudicando outros motoristas, ciclistas e pedestres. Para evitar essas situações, a sugestão é fazer paradas e só prosseguir quando estiver em condições normais.

Além disso, é indispensável manter o veículo, seja ele bicicleta, carro, motocicleta, caminhão ou ônibus, em bom estado e respeitar os períodos de manutenção previstos no Manual do Proprietário.

Pedestres e bicicletas

467002105_9ce5826c55_b
Pedestres devem atravessar sempre na faixa

Os pedestres não devem se aventurar em travessias irregulares. Isso significa não cruzar fora da faixa e nem na diagonal. “É importante frisar que eles também não devem passar por trás de um veículo ou sem olhar. A obrigação dos motoristas é estar atento, mas isso não significa que os pedestres podem andar por aí sem prestar atenção”, explica o presidente da ANTP.

Com a popularização das bicicletas, o ciclista, que para se manter seguro no trânsito precisa ser visto, também necessita obedecer algumas regras. “Ele tem de andar sempre do lado direito e no sentido de fluxo da via. Circular na contramão pode ser muito perigoso. Além disso, é preciso sinalizar antes de fazer curvas ou mudar de faixa”, destaca Brasiliense. Se a bike não contar com recursos de sinalização, pode-se usar os próprios braços para alertar os outros motoristas.

Apesar de não ser obrigatório, a utilização de acessórios de segurança é extremamente recomendada. Quem anda de bicicleta fica muito vulnerável em casos de batidas ou acidentes, por isso, o ideal é se proteger com itens como capacete, cotoveleiras e roupas especiais. Quanto à magrela, segundo o CTB,  ela deve contar com espelho retrovisor do lado esquerdo, buzina ou campainha e sinalização noturna na dianteira, na traseira, na lateral e nos pedais.

Poder público

O governo também tem um papel essencial para melhorar a convivência no trânsito, pois é ele o responsável por manter e conservar as sinalizações. Além disso, é ele que ensinar os condutores, por meios dos curso oferecido antes da emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), sobre como as regras de trânsito funcionam e de que forma elas devem ser aplicadas posteriormente.

  • Além do mais, o poder público deve conservar as vias ( asfaltadas ou não) em condições de tráfego aceitáveis.