Tags

Serviços

Pneus: 4 sinais de que está na hora de trocá-los

Créditos: Photo on VisualHunt.com
11 agosto, 2020
Da Redação

Uma das dúvidas mais comuns dos leitores do Garagem360 é sobre o momento certo de trocar os pneus do carro. A resposta prática e direta vem do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAM): isso deve ocorrer quando o componente chega em 1,6 mm de borracha.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

De acordo com o DETRAN, o momento ideal para trocar o pneu é quando o indicador de degaste chamado TWI é atingido (exatamente o 1,6 mm citado acima). Este é o limite máximo permitido na legislação brasileira.

O índice fica localizado na região do “ombro” do pneu. Ele é sinalizado por uma seta, triângulo ou a própria sigla TWI – todos podem ser verificados visualmente. Entretanto, com 2 mm já deve-se começar a programar a troca, pois a falta de segurança é mesma.

LEIA MAIS: Gasolina ou Etanol: saiba qual combustível é melhor para seu carro flex
Em dois meses, gasolina acumulando uma alta de 7,78% no Brasil

Como aponta o engenheiro de produtos e serviços da DPaschoal, Danilo Ribeiro, o pneu é a única parte do carro que está em contato direto com o solo. Por isso, requer atenção específica.

“Suas perfeitas condições de trabalho devem ser mantidas para proporcionar a máxima segurança aos ocupantes e terceiros”, diz. “Além da multa, um melhor consumo de combustível e conforto ao dirigir estão totalmente relacionados as boas condições desses componentes.”

Segundo Ribeiro, após a troca dos pneus velhos por novos ou apenas a mudança de posição, conhecida também como rodízio, é recomendado o serviço de balanceamento das rodas para oferecer uma rodagem mais confortável, sem aquelas vibrações no volante. O alinhamento da direção também garante um perfeito contato dos pneus com o solo, melhorando a dirigibilidade, a durabilidade dos pneus e o consumo de combustível.

A seguir, veja 4 dicas de Ribeiro para avaliar se está na hora certa de trocar os pneus.

Desgaste irregular
Uma situação que retira o pneu de circulação de maneira prematura, ocasionada em sua maioria por desalinhamento, falta de rodízio, problemas mecânicos na suspensão, calibragem incorreta e sobrecarga.

Pode-se perder até 25% do desempenho dos pneus e ter um aumento considerável de combustível por este problema, além do comprometimento da segurança e o barulho ao rodar.

Envelhecimento
No Brasil, a recomendação de uso dos pneus segundo os fabricantes é de 5 anos, devido a sua perda gradual das propriedades químicas dos compostos utilizados na fabricação, decorrente da ação do tempo. Para saber a data, verifique os 4 últimos números do DOT, localizado na lateral do pneu, que definem a semana e o ano respectivamente, conforme exemplo: Y1RT OAEW 3019 (trigésima semana de 2019).

Os pneus com mais de 5 anos devem ser analisados por um especialista. O condutor pode verificar se não há sinais de ressecamentos ou rachaduras na carcaça e bolhas – nestes casos devem ser removidos.

Furos ou cortes
Quando o pneu sofre alguma avaria no costado (lateral) deve-se imediatamente ser substituído. Segundo os fabricantes, a estrutura lateral do pneu de passeio não aceita reparos com segurança. Fuja da ideia de querer salvar um pneu que cortou ou furou na lateral. Lembrando que na banda de rodagem os reparos também possuem um limite para consertos.

Bolhas ou Vergões
São causados quando ocorre o rompimento dos cordonéis da carcaça devido algum impacto violento ou compressão em excesso no costado. Neste caso, a troca deve ser imediata.

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.