Peso excessivo pode prejudicar a suspensão do veículo

Notícias 14 de junho de 2017 Da Redação, com assessoria 0

Circular com excesso de peso no veículo pode prejudicar o sistema de suspensão e, consequentemente, colocar em risco a segurança de motoristas e passageiros. Por isso, o condutor que vai viajar precisa estar sempre atento à quantidade de carga que irá transportar.

De acordo com Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe, fabricante e desenvolvedora de amortecedores, realizar a checagem da suspensão e respeitar as datas de revisões periódicas do veículo é essencial antes da viagem. “Testes indicam que o amortecedor com problemas pode comprometer a capacidade de frenagem do automóvel, exigindo até 2,5 metros a mais de distância no processo, a uma velocidade de 80 km/h, por exemplo. Isso amplia consideravelmente o risco de acidentes”, diz o especialista. Peças desgastadas comprometem ainda a dirigibilidade e provocam balanços e trepidações excessivas, tornando as manobras mais difíceis.

LEIA MAIS: Audi A8 fará estreia em “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”; veja outros modelos que marcaram o cinema
Dicas para economizar com manutenção preventiva

De acordo com Caretta, além da manutenção é fundamental respeitar o limite de carga de cada veículo. “A suspensão trabalha conforme a característica definida pela montadora para cada modelo para oferecer segurança, melhor controle e dirigibilidade ao motorista”, destaca o profissional.

Assim sendo, uma dica importante é distribuir a carga de maneira uniforme no porta-malas e no bagageiro quando ele for utilizado. Isso faz com que o carro não fique instável nas curvas ou em pistas irregulares. “Esse cuidado permite que os amortecedores trabalhem de forma equilibrada e em conjunto”, afirma Juliano Caretta.

Checar a calibragem dos pneus também é importante. O pneu é o primeiro item da suspensão a absorver os impactos e oscilações, transmitindo os movimentos a todo conjunto. Se eles estiverem descalibrados, ou desgastados, haverá uma alteração significativa no comportamento das peças, aumentando o risco de acidentes.

 

Nenhum comentário até agora.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *