Tags

Notícias

Pandemia no setor automotivo: o que mudou no mercado

Créditos: Pixabay

A pandemia ocasionada pelo novo coronavírus impactou o setor automotivo. Com medidas de isolamento decretadas, a baixa circulação de pessoas fez com que a economia ficasse estagnada. Contudo, o momento fez com que muitas empresas adotassem medidas que serão mantidas até mesmo após o fim da quarentena.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

Para entender um pouco melhor o atual momento, confira a entrevista com o vice-presidente sênior e presidente de Aftermarket da Delphi Technologies, Alex Ashmore.

LEIA MAIS: Carros usados podem se tornar opção para quem busca trocar de automóvel durante a crise
7 dicas para fazer o melhor negócio ao comprar um carro – novo ou usado

Impacto da pandemia no setor automotivo

De que forma a crise por conta da covid-19 impactou o mercado automotivo?

A pandemia do coronavírus atingiu muito rápido o mercado de reposição. Tudo começou como uma crise doméstica e de fornecimento na China, transformando-se rapidamente na maior queda da história na demanda global de aftermarket que se tem registro.

Os líderes empresariais do setor disseram muitas vezes que o mercado de reposição é anticíclico e resistente à recessão, tanto para nossos chefes quanto para os investidores. Entretanto, desta vez é diferente. Houve uma queda repentina e dramática na mobilidade e no número de veículos circulando na estrada. Quando um país entra em lockdown, a mobilidade diminui em cerca de 80% para os carros.

Apesar desse impacto de curto prazo, o mercado de reposição se recuperará mais rapidamente do que as vendas de carros novos, no qual a demanda será menor por algum tempo pelo fato das pessoas guardarem suas economias. Com isso, o aftermarket será beneficiado à medida que a idade média dos veículos for aumentando, o que significa mais reparos e manutenção.

A venda de veículos para o consumidor final foi a mais impactada até agora. Como outros segmentos automotivos estão se saindo durante o isolamento social em diversos países?

Curiosamente, o segmento de veículos comerciais e o mercado agrícola não passaram por grandes transformações. Há muitas pessoas corajosas que continuaram trabalhando para manter os serviços essenciais fluindo e os trabalhadores essenciais em movimento. Os consumidores também estão dando preferência para serviços de entrega em domicílio para suprimentos indispensáveis do dia a dia. Por esse motivo, vemos um aumento no financiamento de motocicletas e vans.

Acredito que também podemos ver um ressurgimento de produtos que contribuam com o meio ambiente, como peças remanufaturadas, por exemplo, à medida que as pessoas saem da crise com uma visão mais cuidadosa do mundo e os governos aproveitam a oportunidade para impulsionar essas áreas da economia.

A indústria automotiva precisará repensar como opera e conduz os negócios no mundo pós-pandemia?

Com certeza. A indústria automotiva já estava se mobilizando em direção à digitalização, e a pandemia acelerou o processo. Podemos ver uma transformação no comércio online de automóveis, com uma mudança na forma de interação do consumidor com o showroom que manterá em longo prazo. As concessionárias estão atualizando sua presença digital e seguem vendendo carros mesmo nesse período. É esperado que o agendamento de serviços pela internet aumente 32%, enquanto as vendas de peças online tenham um aumento de 64% em relação ao ano passado.

É possível nunca mais voltar às formas tradicionais de fazer negócios. As lojas e distribuidores de autopeças também estão vendo um aumento significativo nos consumidores que usam o comércio eletrônico. Mesmo na cadeia de fornecimento, vemos como o distanciamento social criou uma necessidade de automação e consolidação na produção para reduzir o risco de infecção.

Sabemos também que a indústria automotiva está se movendo em direção à eletrificação e à produção de veículos autônomos, e isso continuará, embora esteja ficando claro que os fabricantes optarão por apostar nas escolhas mais ecológicas e na eletrificação às custas de investimentos em direção autônoma no curto prazo. O passo em direção à sustentabilidade e à mobilidade mais ecológica não é conduzido apenas pelos consumidores, mas também pelos governos. Isso incluiria ainda o conceito de oficina ‘limpa e verde’.

Como a pandemia impactou reparadores independentes e oficinas?

No geral, temos visto menos pessoas nas ruas e menor número de quilômetros rodados, o que reduz a necessidade de manutenção, embora os níveis de tráfego já estejam aumentando novamente em muitos países. Com menos carros circulando, há menos colisões e acidentes, o que resulta em menos negócios para oficinas de reparação.

Porém, também podemos ver um aumento no uso de carros particulares devido aos baixos preços dos combustíveis em alguns países e à relutância em usar o transporte público. Certos setores de negócios podem ter diminuído devido a uma mudança nos hábitos do consumidor, mas essas oportunidades aparentemente perdidas apenas migraram para diferentes mercados.

Agora é hora de buscar oportunidades em alguns nichos em crescimento, para direcionar os esforços de marketing e outros investimentos. É o caso dos veículos de entrega, DIY (faça você mesmo), veículos antigos, treinamentos online, eletrificação, produtos ecológicos e serviços.

É importante também reservar um tempo para participar de sessões de treinamento online, focadas nessas tecnologias que estão emergindo. As oficinas de reparação podem querer buscar mais serviços de valor agregado, como extrair dados dos veículos e unir diagnósticos, peças e serviços para uma solução de excelência para o consumidor. Acima de tudo, certifique-se de que seus funcionários e clientes se sintam seguros com os protocolos de saúde e segurança, limpeza, viagens e equipamentos de proteção individual.

O aftermarket registrou uma redução nas taxas de reparos para muitos tipos de trabalhos à medida que os veículos se tornam mais complexos. Haverá alguma mudança?

É verdade que, ano após ano, vemos menos reparos do tipo “faça você mesmo” à medida que os veículos se tornam mais complexos. No entanto, vimos as vendas de autopeças e acessórios para o consumidor aumentarem durante a quarentena. As pessoas agora têm mais tempo de sobra por ficarem em casa. Isso, combinado com a conveniência das compras online, significa que podem fazer sozinhas os reparos, com suporte de vídeo, o que possibilita economizar algum dinheiro.

Isso pode não ser uma mudança de longo prazo, mas é algo que os fornecedores e distribuidores devem ter em mente para ajudar a criar reconhecimento da marca e ganhar a confiança do consumidor.

Quais devem ser as prioridades durante esse período de incertezas?

Em primeiro lugar, proteja suas equipes, clientes e demais grupos de interesse. Planeje um futuro para que o time e a companhia sejam resilientes e ágeis, e invista em tecnologias e infraestrutura para dar suporte ao trabalho remoto e às iniciativas virtuais. Como muitas empresas estão voltando às atividades, um retorno seguro ao trabalho com foco em saúde, segurança, limpeza, políticas de viagens de negócios revisadas e a necessidade de equipamentos de proteção individual é fundamental.

Em segundo lugar, vejo a necessidade de aprimorar e impulsionar os planos de marketing e de comunicação com o mercado. Os direcionamentos para as vendas evoluirão e precisamos nos ajustar rapidamente, permitindo uma digitalização cada vez mais ampla no front-end de vendas, marketing, suporte técnico e também no back-end para ajudar a proporcionar um excelente serviço. Novamente, digo que precisamos procurar as oportunidades de crescimento nos nichos para focar nossos esforços de marketing e outros investimentos – veículos de entrega, veículos antigos, treinamento online, ‘faça você mesmo’, eletrificação, produtos ecológicos e serviços.

O último ponto é a colaboração. A restrição de caixa da indústria automotiva neste ano dificultará o financiamento dos investimentos necessários para o futuro, mas juntos devemos correr riscos calculados com otimismo cauteloso em relação aos níveis de estoque e capacidade, para ativar novamente os negócios. Vamos traçar um caminho para seguir em frente assim que as regras da quarentena forem flexibilizadas gradualmente e criar planos mútuos para garantir que o mercado de reposição retorne aos patamares anteriores o mais rápido possível.

Como orientação, digo que precisamos de esforços coletivos de todos os líderes do mercado de reposição para proteger nossos negócios e economias. O mundo após a covid-19 será definido pelas ações que tomarmos. Nós, como líderes, temos a obrigação de mitigar os reflexos econômicos e o impacto no emprego trazidos por essa pandemia.

Carros lançados no Brasil durante a pandemia

A pandemia da covid-19 derrubou as vendas e a produção do mercado automotivo. Porém, apesar do cenário de crise, alguns modelos foram lançados no Brasil desde o início da quarentena.

Na galeria, veja alguns carros novos que chegaram ao mercado nos últimos meses. A lista inclui tanto modelos novos como atualizações de outros que já estavam em linha.

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.