Tags

Álbum

Opinião: liderança da Fiat Strada significa uma nova era no mercado brasileiro?

Créditos: Divulgação/Fiat

Na última semana, a Fenabrave divulgou os números oficiais de emplacamentos no mês de setembro. Antes líder incontestável, o Chevrolet Onix perdeu novamente a liderança mensal, dessa vez para a Fiat Strada. Antes disso, ele havia sido ultrapassado pelo VW T-Cross em julho. Com isso, nos últimos três meses, dois veículos utilitários fecharam na ponta da tabela, superandos hatches e sedãs, que sempre foram populares no País.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Porém, embora os feitos de T-Cross e Strada mereçam todo o reconhecimento, é preciso destacar que o bom desempenho de ambos foi ocasionado pelo alto número de emplacamentos para venda direta – que inclui os emplacamentos PcD e para frotas. No mês em que foi líder, o SUV da Volkswagen teve 10.211 unidades contabilizadas, sendo que 8.124 unidades foram como venda direta. A realidade da picape da Fiat é parecida: das 11.873 unidades vendidas em setembro, 9.063 foram na modalidade direta. Com o Onix a situação é inversa, com as vendas varejo (para consumidor final) ficando sempre entre 8 mil e 9 mil unidades ao mês.

Este cenário mostra que, embora tenha perdido a liderança geral em dois dos últimos três meses, o Onix segue sendo procurado pelo cliente tradicional, o que compra carros com CPF e não com o CNPJ. Por isso, ao menos por enquanto, o mercado brasileiro segue dominado por um hatch compacto do segmento de entrada. Só que essa é apenas a ponta do iceberg.

SUVs e picapes podem dominar em breve

Aos poucos, o mercado brasileiro tem se tornado uma versão em miniatura do mercado dos EUA. Há tempos que americanos preferem picapes e SUVs, mas em tamanhos bem maiores que os mais populares do Brasil. Já faz anos que a Ford F-150, uma picape grande para os padrões tupiniquins, é o veículo mais emplacado no país comandado por Donald Trump. Utilitários esportivos médios e grandes, como o Chevrolet Equinox e o Jeep Cherokee, também estão entre os preferidos dos americanos.

No Brasil, o mercado abraçou veículos compactos e com motores menores. Por décadas o domínio foi de hatches, sedãs e peruas, mas sempre de tamanho compacto. Entretanto, conforme os SUVs foram surgindo, o público brasileiro passou a olhá-los com mais carinho. A enxurrada de utilitários compactos na última década serviu para pavimentar a popularidade desses veículos. Hoje, praticamente todas as fabricantes possuem ao menos um SUV em seu portfólio. Aos poucos, o ranking de vendas foi povoado pelos utilitários compactos, com vários deles marcando presença na lista de 20 carros mais vendidos do Brasil.

LEIA MAIS: Ford Ranger roda mais de 1.250 km com um tanque de diesel

Ecovias fará manutenção no Sistema Anchieta-Imigrantes nesta semana

Agora, além de ter mais SUVs comercializados, o País teve uma picape como o carro mais vendido em setembro. Por mais que a liderança da Strada tenha sido impulsionada pelas vendas diretas, ela pode representar sim uma nova era. E, por ser compacta, ela reforça essa sensação de uma americanização em miniatura do mercado. Principalmente porque a segunda geração do modelo, que estreou neste ano, tornou-se mais amigável a quem deseja utilizá-la como veículo principal. A Strada evoluiu em espaço e praticidade, tendo agora uma legítima cabine dupla com quatro portas e espaço para quatro adultos, mas sem abrir mão das versões com cabine simples para quem precisa de um veículo para transportar carga. Nos EUA, a F-150 conquistou o público justamente por ter um amplo leque de versões, atendendo quem necessita de um veículo familiar e também o consumidor que precisa de um modelo para trabalho. A comparação entre ambas é injusta, mas é mais um ponto semelhante entre os mercados do Brasil e dos EUA – guardadas as devidas proporções.

Dito isso tudo, não é errado pensar que o mercado nacional se tornou uma versão em miniatura do mercado americano nas características de alguns veículos – e só. O Brasil ainda está bem distante em número de vendas, tecnologia e poder aquisitivo. Por isso, o mercado nacional tende a seguir dominado por compactos, mas em vez de um hatch, pode ser que daqui a um tempo algum SUV ou uma picape se firme efetivamente na liderança geral. Por ora, é cedo afirmar que o domínio do Chevrolet Onix chegou ao fim – mas pelo andar da carruagem, não é improvável que ele saia da ponta em um futuro próximo.

Mais vendidos em setembro

Na galeria, confira quais foram os carros mais vendidos no último mês.

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.