Enchentes e chuva com raios: veja como proteger seu carro

Serviços 31 de janeiro de 2018 Maria Beatriz Vaccari 0

Especialmente no verão, algumas cidades brasileiras sofrem bastante com casos de enchente e chuva com raios. Nesses dias, é importante que o motorista redobre a atenção no trânsito e, de preferência, não use o automóvel. Se não for possível, ele pode seguir algumas dicas para não prejudicar o veículo e ainda preservar a cobertura da seguradora.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

“Em dias chuvosos, o ideal é evitar os locais já conhecidos por alagamentos. Também é indicado checar o noticiário antes de sair de casa ou do trabalho com o carro e procurar rotas alternativas”, explicou Lilian Tabanez, supervisora da área de sinistros de automóvel da AD Corretora de Seguros em entrevista ao Garagem 360.

Caso o motorista seja surpreendido pelo excesso de chuva, a especialista recomenda que ele mantenha o veículo parado no local até que a água baixe, além de nunca tentar cruzar áreas inundadas. Quando a enchente passar, será preciso chamar um guincho e rebocar o modelo até uma oficina especializada.

“Se o motor desligar durante a travessia de uma lâmina de água, não se deve tentar dar a partida. Isso é recomendado porque se os terminais do motor de partida estiverem imersos, ocorrerá curto-circuito nos sistemas elétrico e eletrônico do automóvel. Esse processo gera um grande prejuízo e também é bastante perigoso”, garantiu Celso Argachoy, professor de engenharia mecânica do Instituto Mauá de Tecnologia, em uma conversa com a reportagem do Garagem 360.

Ele ainda destaca que o veículo não deve ser ligado caso os sistemas de escapamento e admissão de ar estejam submersos. “Nesta outra situação, com o desligamento, a água pode ter penetrado no motor. Ao tentar dar a partida, ocorrerá o chamado ‘calço hidráulico’, que é quando o pistão tenta comprimir água ao invés de ar. Isso compromete seriamente o propulsor”, afirma.

Cobertura do seguro

Na hora de contratar um seguro veicular, o motorista deve ficar atento ao tipo de proteção oferecido em situações de alagamentos e enchentes. As principais empresas do ramo têm este tipo de cobertura, entretanto, vale verificar a cláusula que indica o agravamento de risco feito pelo segurado. As ações indicadas nela comprometem o pagamento.

“O consumidor perde a proteção nos casos em que ficarem comprovados que ele agravou o risco. Um exemplo disso é não esperar a água baixar e tentar atravessar com o veículo em local inundado”, afirmou Lilian.

Raios e fios elétricos

Em dias de muita chuva, o motorista também precisa ficar atento à quantidade de raios e cabos elétricos danificados. “Para evitar problemas, o melhor a fazer é ficar dentro do carro e com as janelas fechadas, pois se ele for atingido por um raio ou fio de energia solto, as cargas elétricas irão se espalhar por sua superfície metálica externa sem ameaçar os ocupantes”, disse João Carlos Lopes, professor de engenharia elétrica também do Instituto de Tecnologia Mauá.

Ele ainda afirmou que isso acontece porque os pneus de borracha funcionam como isolantes. “Quando estão molhados, nos casos de chuva, as cargas passam por eles e se descarregam no solo. Por outro lado, se estiverem secos, o raio se transforma em fagulhas que são absorvidas pelo chão.”

Se algum cabo elétrico atingir o automóvel, as pessoas devem permanecer dentro do veículo desligado até que profissionais especializados cheguem para desativar a eletricidade da rede. Apesar de estarem protegidos, recomenda-se que os passageiros  não encostem nas partes metálicas do interior do modelo. É importante frisar que pessoas de fora também não devem tentar ajudar e nem tocar no automóvel.

Na galeria, veja alguns carros testados pelo Garagem 360:

 
 
<
>