Um dos primeiros setores a utilizar a impressão 3D em suas linhas de produção foi o automotivo. Essa tecnologia, que avança em ritmo acelerado, possibilita a confecção mais precisa e personificada de peças e acessórios e a redução de custos. A impressão tridimensional também modernizou e facilitou a fabricação de protótipos. Graças às impressoras 3D, as montadoras conseguem pular etapas e submetem os protótipos impressos a testes antes de enviar os projetos para produção.

Presente em diversos segmentos em função da variedade de soluções que apresenta, ela tem auxiliado no desenvolvimento e na modernização de produtos também para as áreas de medicina e odontológica, arquitetura e construção, indústria aeroespacial, brinquedos, agricultura, entre outras. A tecnologia para esses e outros setores será apresentada no Brasil, durante a Inside 3D Printing Conference & Expo, feira e congresso internacional, que chega a São Paulo pela quarta vez e será realizada nos dias 5 e 6 de junho, Centro de Convenções Frei Caneca.

Já realizado em Cingapura, Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Coreia do Sul e China, o evento reune pesquisadores, a indústria, investidores e os maiores especialistas e fornecedores mundiais de soluções para manufatura aditiva e impressão 3D.

O tema a ser abordado este ano é a 4ª Revolução Industrial e as oportunidades que surgem para o mercado dessas impressoras e manufatura aditiva.

Além do congresso, a Inside 3D Printing contará com uma área aberta de exposição, onde serão demonstradas as diversas tecnologias de impressão, os novos equipamentos do mercado e sua funcionalidade.

Os organizadores do evento esperam a presença de empresários, investidores, pesquisadores, engenheiros, arquitetos, projetistas, profissionais da área médica, fabricantes entre outros.

Mercado em crescimento
O mercado de impressoras 3D tem registrado rápido crescimento. No início, eram grandes máquinas, de alto custo e patenteadas, o que restringia a expansão. Hoje, já com o vencimento do período de algumas patentes, o setor está aberto a novos investidores e desenvolvedores, o que resultou no desenvolvimento, tanto na parte física das impressoras, quanto nos softwares utilizados. Em 10 anos o preço foi reduzido de cerca de US$ 20.000 para US$ 500 e tornou-se muito mais rápida. Estima-se que até 2027, 10% de tudo o que for produzido no mundo será impresso em 3D.

Segundo a Wohlers Report 2016, a indústria de manufatura aditiva mundial (produtos e serviços), cresceu 25,9% em 2015, atingindo US$ 5.165 bilhão. A taxa de crescimento desta indútria nos três anos anteriores foi de 31,5%.

Além da questão das patentes, a tendência de crescimento desse setor se dá por conta dos desenvolvimentos de novos produtos que podem ser impressos (plásticos, metais e cerâmicas), assim como a demanda dos mercados por produtos sofisticados e de precisão. Ou seja, grande parte das impressões 3D serve para a elaboração de protótipos de testes para determinadas produções em massa. Esse nicho de negócios continua em expansão, mas há, agora, uma nova fronteira que está sendo explorada.

Segundo Mônica Carpenter, diretora da Aranda Eventos, empresa organizadora da Inside 3D Printing no Brasil, é importante que o país participe dessas discussões e trocas de informações por se tratar de um nicho de oportunidades. “Nesse sentido, o evento será um importante palco para a disseminação de informações técnicas e de mercado, no intuito de promover o desenvolvimento e a geração de negócios”, completa a executiva.

INSIDE 3D PRINTING

Local: Centro de Convenções Frei Caneca

Endereço: Rua Frei Caneca, 569, São Paulo

Quando: Dia 05/06, das 13h30 às 19h, e 06/06, das 09h30 às 18h30

Mais informações: https://goo.gl/G2yVQi

O acesso à exposição é gratuito.