Mercedes-Benz OF 1721: detalhes do ônibus mais vendido do Brasil

Notícias 15 de janeiro de 2020 Da Redação, com assessoria 0

O Mercedes-Benz OF 1721 foi o ônibus mais vendido no Brasil em 2019. O modelo, que lidera o ranking pelo sétimo ano consecutivo, teve 3.533 unidades emplacadas entre janeiro e dezembro do ano passado – um crescimento de 23% em relação a 2018.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Usado nos sistemas de transporte coletivo de grandes capitais, como Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ), o OF 1721 oferece o menor consumo de combustível do segmento e baixo custo operacional. O modelo também é bastante procurado por conta de seu alto valor de revenda e da rede de concessionários dedicada, que oferece facilidade na hora de encontrar peças de reposição.

Desenvolvido para receber carroçarias de até 13,2 metros, o ônibus vem equipado com o motor eletrônico OM-924 LA de quatro cilindros, que oferece potência de 208 cv a 2.200 rpm e torque de 780 Nm de 1.200 a 1.600 rpm. Além da tradicional configuração com suspensão metálica, o modelo é oferecido com suspensão pneumática.

Freio-motor Top Brake, sistema de freio ABS, caixa de mudanças G 85 de seis marchas com radiador de óleo, polia adicional para ar-condicionado e conexão para extração de dados de telemetria (FMS) são alguns dos itens de série do ônibus. A lista de opcionais conta com sistemas como tacógrafo digital e retarder.

LEIA MAIS:

LEIA MAIS: Conheça as estradas mais legais do mundo
DeLorean, Batmóvel: relembre carros que brilharam no cinema e na TV

O OF 1721 também vem equipado, de série, com o EIS – sistema de desligamento automático do motor. Se o ônibus está parado, porém com motor ligado, câmbio no ponto morto e freio de mão acionado, numa situação que perdure por um longo período sem que o motorista acelere o veículo – por exemplo, quatro minutos – ou acione o freio de serviço, o sistema entra em ação e automaticamente desliga o motor.

Esta é uma situação bastante comum em garagens, rodoviárias, terminais urbanos e pontos de parada. Nessas circunstâncias, o EIS desliga sozinho, proporcionando economia no consumo de combustível, além de reduzir as emissões de poluentes e de ruídos.

 

Nenhum comentário até agora.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *