Mercedes-Benz foi a fabricante com mais recalls em 2020; veja o balanço completo

Mercedes-AMG und Cigarette Racing präsentieren das neue Rennboot 59’ Tirranna AMG Edition auf der Miami Boat Show 2020;Mercedes-AMG G 63 Cigarette Edition (kombinierter Kraftstoffverbrauch: 13,3-13,1 l/100 km; CO2-Emissionen kombiniert: 304-299 g/km)* Mercedes-AMG and Cigarette Racing present the all-new 59’ Tirranna AMG Edition at the 2020 Miami Boat Show;Mercedes-AMG G 63 Cigarette Edition (combined fuel consumption: 13,3-13,1 l/100 km; combined CO2 emissions: 304-299 g/km)*

Em 2020, o número de montadoras envolvidas em recalls cresceu 4%. No total, foram 85 campanhas monitoradas, 26 marcas envolvidas e 205 modelos afetados. Os dados são do Papa Recall, aplicativo que monitora chamamentos automotivos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

A fabricante com mais recalls foi a Mercedes-Benz, que registrou 15 comunicados ao longo desse período. A marca alemã também é dona do modelo que teve mais campanhas ao longo do ano – o AMG G 63, com quatro convocações (para portas dianteiras, turbocompressor, módulo de travamento diferencial dianteiro e traseiro, e trava de segurança infantil de portas traseiras).

Hyundai CAOA, Jaguar, Kia e Suzuki se destacaram com zero recalls em 2020. Além disso, vale a pena destacar que, dos vinte carros mais vendidos do Brasil, dez não tiveram nenhum chamamento: Chevrolet Onix e Onix Plus, Fiat Argo, Fiat Strada, Jeep Compass, Renault Kwid, Toyota Corolla, Nissan Kicks, Honda HR-V e Toyota Hilux.

O sistema de airbag foi o principal problema do ano – ele apareceu em 19 campanhas, que envolveram 58 modelos. O segundo tema mais recorrente foi combustível, com 13 chamamentos para 29 modelos. Freio, software e transmissão completaram o pódio – cada um deles marcou oito campanhas em 2020.

Recalls

Na galeria, veja outros modelos que foram chamados para recall nos últimos meses:

Veja mais ›
Fechar