Maio Amarelo: Ford alerta sobre os perigos das distrações ao volante

Notícias 16 de maio de 2018 Leo Alves 0

Guiar um veículo requer 100% de atenção ao volante. Nunca se sabe quando será necessário realizar uma manobra de emergência, já que situações críticas ocorrem inesperadamente. Porém, não é raro encontrar motoristas ao celular enquanto dirigem. Para conscientizar sobre os perigos que as distrações ao volante podem causar, a Ford lançou uma campanha por conta do Maio Amarelo.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

“Qualquer atividade que o motorista exerça com o veículo em movimento que não seja dirigir, como conversar continuamente, procurar por locais, endereços ou objetos no carro, animais soltos ou até mesmo fumar pode colocar a segurança em risco”, afirma Marcus Romaro, engenheiro de tráfego do Campo de Provas da Ford em Tatuí.

LEIA MAIS: Maio amarelo: atitudes que podem salvar vidas no trânsito

Maio amarelo: Fiat cria série de vídeos sobre segurança

O mau uso do celular é uma das principais causas de distração nos dias de hoje. Isso afeta diretamente a concentração, representando perigo não só na condução do veículo. Caminhar mexendo no aparelho também expõe o usuário ao risco de cair ou até mesmo de sofrer um atropelamento.

Selfie ao volante

O tempo que um motorista leva para tirar uma selfie dirigindo um carro a 100 km/h equivale a uma volta em uma quadra de atletismo com os olhos vendados. Com o tempo médio para checar as redes sociais nesta mesma velocidade, o veículo pode percorrer 560 metros. Isso é equivalente a cinco campos de futebol.

“Outro ponto a considerar é que a falta de conforto, seja térmico, acústico ou da suspensão, contribui muito para a perda de concentração, isso sem falar no cansaço, que é um dos principais fatores de distração e, consequentemente, de acidentes no trânsito”, alerta Romaro.

Estudos

Segundo o engenheiro, um estudo norte-americano feito com mais de 3.500 motoristas da revista “Proceedings of the National Academy of Sciences” indicou que os condutores passam mais da metade do tempo envolvidos com alguma atividade que pode afetar a concentração. A pesquisa apontou ainda que 68% das 905 colisões registradas durante o estudo foram causadas por algum tipo de distração.

A falta de atenção por uso de celular ou pelo simples ato de arrumar o cabelo ao volante pode gerar desde uma colisão traseira simples, sem nenhum dano material, até acidentes graves como atropelamentos, capotamentos, colisões frontais por não manter o veículo na faixa ou não fazer uma curva, entre outros.

De acordo com Romaro, para evitar esse tipo de distração os motoristas devem parar em um local seguro para falar ou enviar mensagens pelo smartphone. “Nós não fomos projetados para o trânsito. As situações de risco ocorrem em velocidades maiores do que a nossa capacidade de reagir”, explica. “Por isso, o automóvel é dotado de vários dispositivos, como espelhos retrovisores, freios mais eficientes, suspensões mais precisas e sensores cada vez mais modernos, como alerta de colisão, controle de tração e estabilidade e alerta de partida em rampa”, complementa o engenheiro.

Na galeria, veja alguns modelos que conseguiram cinco estrelas em testes de colisão.

 
 
<
>