Veja 7 fatores que aumentam a depreciação dos veículos

Notícias 13 de junho de 2019 Da Redação, com assessoria 0

O carro é um bem do indivíduo que desvaloriza com o passar do tempo. Segundo pesquisa feita pelo Autoesporte, o carro pode sofrer depreciação de 7% a 23% no valor em apenas um ano de uso.

Entretanto, é possível que o proprietário evite maiores prejuízos com o carro, mantendo suas partes mecânicas e estrutural conservadas. “Só de sair da concessionária, o carro já sofre uma perda de valor, situação que pode ficar pior em alguns casos. Remoção de itens originais da marca, batidas e arranhões, por exemplo, são fatores que diminuem o valor do automóvel na hora da sua venda”, destaca Fabio Pinto, CEO da Carflix.

O especialista listou alguns dos principais motivos que depreciam o valor do carro na hora da venda. Confira a seguir.

7 fatores que aumentam a depreciação

1- Quilometragem alta

O aumento da quilometragem com o passar dos anos é algo inevitável para quem possui um carro, mas também é algo que interfere na revenda de um veículo. Para que o carro não sofra muita depreciação, o ideal é tentar diminuir o tempo que permanece com o automóvel e vendê-lo com no máximo cinco anos de uso.

Após esse período, a chance do preço do automóvel cair além do esperado é grande e pode comprometer o negócio.

2- Batidas e arranhões

Outro fator que influencia no valor do veículo é a quantidade de batidas e arranhões que a lataria possui. Se o proprietário tem planos de vender bem o seu carro usado, é fundamental que seja prudente no trânsito e na hora de estacionar. Tudo para evitar marcas indesejadas na pintura.

LEIA MAIS: Do tempo de Chernobyl: conheça os carros do antigo “mundo socialista”

Ford lança série limitada para Ka e EcoSport

3- Partes mecânica e estrutural

Além da parte visual, o veículo também pode ser avaliado na parte mecânica e estrutural. É comum o preço do automóvel sofrer depreciação pelas más condições de peças como mangueira, pastilhas, discos de freio, suspensão, óleo do motor, pneus e estepe.

O funcionamento incorreto de outras partes do automóvel também diminuirá o valor do carro, tais como break-light, lanternas, ar-condicionado, vidros elétricos, entre outros.

4- Troca de pintura

Um dos erros que mais desvalorizam um automóvel na hora da revenda é realizar a troca da cor do carro. Por mais que o carro possa ficar mais bonito na opinião do dono, o que o mercado mais valoriza na negociação de um veículo são itens originais conservados.

Portanto, para conseguir um valor mais alto pelo seu carro na venda, é recomendável manter a pintura original de fábrica.

5- Remoção de itens originais de fábrica

É comum compradores de carros usados preferirem que o carro usado fique o mais similar possível de um carro recém-saído da fábrica. Remover itens originais do veículo inviabiliza isto completamente, o que influencia também no valor final da revenda.

A solução para este problema é solicitar peças novas junto às concessionárias.

6- Multas ou documentação atrasada

Outro erro bastante comum no momento da revenda é o dono do veículo não se atentar às multas ou estar com documentações atrasadas. Estas pendências graves diminuem o valor do automóvel, por isso é fundamental manter os compromissos em dia se não quiser perder dinheiro ao vendê-lo.

7- Carros de locadoras e praia

Outro fator que diminui o valor do automóvel são veículos que saíram de locadores ou taxis. Não é exatamente um erro do vendedor do usado, mas se o carro está nestas condições citadas o preço da revenda será reduzido em razão da frequência de uso do proprietário.

Outro fator são as cidades litorâneas. Se o carro é frequentemente usado próximo de praias, a revenda ficará dificultada pelo desgaste causado pela maresia.

E por falar no mercado de carros, confira na galeria quais são os carros mais vendidos do Brasil.