Dirigir carro conversível pode prejudicar a audição

Notícias 18 de janeiro de 2017 Maria Beatriz Vaccari 0

Os carros conversíveis são o sonho de consumo de muitos motoristas. Dirigir com vento no rosto pode até parecer legal, mas traz riscos à saúde. Um estudo realizado pelo Worcestershire Royal Hospital, do Reino Unido, indica que a exposição prolongada ao barulho do motor do carro e ruído do vento pode levar à perda auditiva.

Os resultados são baseados na quantidade de decibéis enfrentada pelos motoristas que dirigem com a capota abaixada. Eles mostram que o ruído alcançou 90 decibéis com o veículo entre 80 e 112 km/h. Vale lembrar que o limite para o risco de perda de audição é de 85 decibéis.

A experiência ainda constatou que os carros conversíveis que rodam nas mesmas condições com a capota fechada não registram excesso de decibéis. Quem quiser tentar reduzir os níveis de barulho pode circular com os vidros do carro levantados (mesmo com a capota abaixada) para diminuir o vento lateral.

“A perda auditiva induzida por ruído tem efeito cumulativo. Qualquer dano à audição vai se somando ao longo do tempo. Os efeitos podem não ser sentidos rapidamente, e a percepção do dano auditivo pode vir tarde demais. A exposição frequente dos motoristas de carros conversíveis a níveis acima de 85 decibéis, conforme constatou o estudo, pode levar, com o tempo, à perda permanente e irreversível da audição”, afirma a fonoaudióloga Isabela Carvalho, da Telex Soluções Auditivas.