Testamos: Honda HR-V Touring 2020 anda bem e cobra caro pelo conjunto

Testamos: Honda HR-V Touring 2020 anda bem e cobra caro pelo conjunto

Leo Alves
Do Garagem360

07/11/2019 | 12:28


Atualizada às 10h14

Os fãs do Honda HR-V tiveram que esperar quase cinco anos para ter uma versão mais potente do SUV no Brasil. Lançada neste ano, a Touring usa o motor 1,5l turbo de 173 cv de potência e 22,5 kgfm de torque, sendo a mais cara do modelo, custando R$ 139.900. A reportagem do Garagem360 rodou uma semana com carro e, por mais que tenha um desempenho superior e itens exclusivos, a sensação que fica é a de que ele cobra caro por seu pacote de equipamentos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

Honda HR-V Touring 2020: impressões

Embora utilize o mesmo conjunto mecânico do Civic Touring, o HR-V turbo parece mais manso ao volante. Os 22,5 kgfm de torque estão disponíveis logo a 1.700 rpm, mas a sensação é que o sedã reage mais prontamente que o SUV. Isso não significa que o utilitário seja lento. Pelo contrário, não é difícil fazer o carro ganhar velocidade, mas fica essa impressão de que há mais disposição no Civic. Para quem quiser uma tocada mais esportiva, há a opção de realizar as trocas de marcha pelas borboletas atrás do volante, já que a transmissão CVT simula até sete marchas.

Se o desempenho agrada, mas não chama tanto a atenção, o consumo do propulsor de 1,5l merece elogios. Ele queima apenas gasolina, é verdade, mas bebe pouco. Rodando a maior parte do tempo na cidade, o HR-V Touring fez 9 km/l de média, chegando a alcançar os 12 km/l em um trajeto urbano misto, pegando um pouquinho de estrada entre São Bernardo do Campo e São Paulo.

Vida a bordo

Assim como as demais versões, a posição de dirigir é boa e agrada os motoristas que gostam de um assento mais elevado. Os bancos acomodam bem o corpo e não cansam o condutor. Para quem viaja atrás, há um bom espaço para pernas e o sempre agradável piso quase plano. Outra boa função é o sistema Magic Seat, que permite elevar o assento do banco traseiro para transportar objetos altos no assoalho. Prático, ele está presente em toda a gama do HR-V, mas vale o registro.

LEIA MAIS: Testamos: bom de volante, Honda HR-V LX peca na lista de equipamentos

Testamos: Honda Civic Touring tem conjunto mecânico ideal e consumo de carro popular

Exclusivo dessa versão, o teto solar panorâmico é um bom equipamento de série. Ele deixa a cabine mais iluminada e arejada, além de combinar com o estilo do carro. O interior com detalhes na cor creme também ajuda a deixar o ambiente mais claro, sendo outro item exclusivo do modelo Touring.

Raio-X

Honda HR-V Touring

Motorização: 1,5l turbo i-VTEC 16 válvulas 173 cv a 5.500 rpm (gasolina)

Torque máximo líquido: 22,5 kgfm entre 1.500 e 5.500 rpm (gasolina)

Transmissão: Automática continuamente variável (CVT) – com simulação de sete marchas

Dimensões: 4,29 m x 1,77 m x 1,58 m (comprimento x largura x altura)

Distância entre eixos: 2,61 m

Peso em ordem de marcha: 1.380 kg

Tanque de combustível: 51 L

Porta-malas: 437 L

Preço: R$ 139.900

Pontos positivos: Consumo, espaço interno, teto solar;

Pontos negativos: Preço alto, desempenho e ausência de equipamentos

Porém, embora tenha esses detalhes únicos, faltaram alguns equipamentos. O painel de instrumentos é o mesmo das demais versões — inclusive o computador de bordo monocromático. A central multimídia de sete polegadas e o ar-condicionado digital com uma zona também equipam outras versões do modelo. Itens de segurança, como o aviso de ponto cego e alerta de mudança de faixa, por exemplo, não são oferecidos nem como opcional.

Vale a compra?

A versão Touring parece a ter a fórmula ideal: ela faz tudo que qualquer HR-V faz, só que com mais potência e itens exclusivos. Entretanto, ele cobra caro pelo que oferece. Seu preço é mais caro até mesmo que o do Civic com o mesmo motor, que custa R$ 5 mil a menos. Na família do SUV, a versão EXL custa R$ 28 mil a menos, mas utiliza o motor 1.8 de 139 cv e não tem o teto solar panorâmico e a partida por botão.

Em resumo, mesmo tendo muitos méritos, como a economia de combustível, o HR-V Touring só se justifica para quem é fã do modelo e faz questão do motor mais potente.