Testamos: bem equipado, Nissan Sentra SL prova que ainda é sério concorrente entre sedãs médios

Testamos: bem equipado, Nissan Sentra SL prova que ainda é sério concorrente entre sedãs médios

Leo Alves
Do Garagem360

06/09/2018 | 15:15


Atualizada às 15h15

Em 2018, o Nissan Sentra é apenas o sétimo colocado em seu segmento. Com o VW Jetta prestes a trocar de geração, a tendência é que o modelo japonês assuma a sexta colocação. Apesar desse cenário, o modelo tem muitas virtudes, como foi notado pela equipe do Garagem360.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Esta geração já tem algum tempo de estrada. Seu lançamento foi em 2012, passando por um leve redesenho em 2016. Trata-se de um modelo experiente que tem um visual agradável e atual. O interior não está datado e mostra que o Sentra ainda tem lenha para queimar.

Bom de guiar

O sedã também agrada ao volante. Seu motor 2,0l de 140 cv é associado ao câmbio automático do tipo CVT e dá conta do recado. Não espere por um desempenho primoroso, já que esta nem é a proposta deste tipo de veículo.

Ele é um carro bem acertado e bom de guiar. A direção responde bem e a suspensão mantém a carroceria firme, mesmo sendo mais voltada para o conforto.

LEIA MAIS: Testamos: confortável, Toyota Corolla Altis agrada tanto na cidade como na estrada

Testamos: Honda Civic EX tem boa lista de equipamentos e dirigibilidade acertada por R$ 100 mil

O modelo foi razoável em termos de consumo. Ele fez apenas 4,5 km/l sob tráfego pesado abastecido com etanol. Em um outro trajeto na cidade, dessa vez com menos trânsito, o computador de bordo apontou 7 km/l. A média final do teste ficou na casa dos 5 km/l, já que o Sentra rodou a maior parte do tempo em fluxo intenso.

Espaçoso e equipado

O espaço interno do Sentra é bom – algo comum nesta categoria. Pessoas mais altas podem ter dificuldade na traseira, por conta do teto baixo. Mesmo assim, o espaço para cabeça é melhor que o do Civic e praticamente igual ao do Corolla. Até quatro adultos conseguem viajar sem sufoco no modelo. Um quinto passageiro fica mais apertado, mas ao menos o assoalho é quase plano.

Raio-X

Nissan Sentra SL 2.0

Motorização: 2,0l 16 válvulas 140 cv a 5.100 RPM (etanol/gasolina)

Torque máximo líquido: 20 kgfm a 4.800 RPM (etanol/gasolina)

Transmissão: automática do tipo CVT – infinitamente variável

Dimensões: 4,63 m x 1,76 m x 1,50 m (comprimento x largura x altura)

Distância entre eixos: 2,70 m

Tanque de combustível: 52 L

Consumo médio: 7 km/l cidade com etanol (pelo computador de bordo)

Porta-malas: 503 L

Peso em ordem de marcha: 1.360 kg

Preço: R$ 106.350

Pontos positivos: boa lista de equipamentos, design atual, espaçoso

Pontos negativos: consumo razoável, bancos poderiam ter melhor apoio

Um dos pontos favoráveis ao sedã médio da Nissan é sua relação custo-benefício. A versão avaliada é a mais completa e conta com mimos como o sistema de som assinado pela Bose e que tem quatro alto-falantes, dois tweeters e dois subwoofers, teto solar elétrico, faróis em LED e alerta de colisão frontal.

Há ar-condicionado digital de duas zonas, seis airbags, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva. Mesmo se tratando da versão mais completa, o Sentra é bem recheado desde a de entrada, que custa R$ 83 mil e utiliza o mesmo conjunto mecânico.

Vale a compra?

Por mais que esteja um pouco esquecido no segmento, o três volumes mostrou que tem seus méritos. Ele oferece uma boa gama de equipamentos pelo preço das versões intermediárias de alguns concorrentes.

O Sentra pode até não ser o mais moderno ou o mais vendido, mas é competente em tudo que propõe. Tem um bom acabamento e um conjunto mecânico equilibrado.

 
 
<
>