As Forças Armadas do Brasil têm veículos próprios que devem ser capazes de enfrentar diversos tipos de situações, sempre tendo em vista uma eventual necessidade de uso em situações reais de combate e a proteção do território nacional. É o caso de tanques, jipes de combate, caminhões para transporte de tropas e equipamentos e até veículos anfíbios, capazes de passar por terrenos difíceis e regiões alagadas.

LEIA MAIS: Veja os carros de resgate ao redor do mundo
Ferrari entra para frota da polícia italiana; conheça as viaturas ao redor do mundo

Esses veículos são equipados com o que há de mais moderno e robusto na indústria automobilística. Sistemas de tração, blindagens especiais e altura mais elevada em relação ao solo são apenas alguns exemplos de alterações que os eles precisam ter para enfrentar as dificuldades dos terrenos e manter uma grande capacidade de carga – seja para o deslocamento das tropas ou de insumos alimentícios e armamentos. O Cesvi/Mapfre (Centro de Experimentação e Segurança Viária) desenvolveu um boletim técnico com as principais características dos veículos militares brasileiros. Confira:

Proteção balística
Os blindados geralmente são montados para proteger os ocupantes contra disparos de armas poderosas, com proteção balística que deve reter até granadas e tiros de fuzil. Atenção: esse nível de blindagem não é permitido para uso civil (cuja proteção máxima é a chamada IIIA, para balas de até calibre .44).

Sistemas de tração
Muitos caminhões das Forças Armadas possuem tração em todas as rodas, mesmo aqueles que contam com seis ou oito eixos. Isso se faz necessário para que possam enfrentar todo tipo de terreno, incluindo obstáculos como alagamentos, lama e areia.

Versatilidade e acessórios
Os veículos blindados, por terem características anfíbias (podendo navegar em rios e lagos), também são ferramentas de trabalho para as Forças Armadas. Além disso, possuem estrutura para suportar armamento pesado, como canhões e metralhadoras de apoio aos militares. Equipamentos para visão noturna também fazem parte desse arsenal.

Legislação e habilitação
Como são veículos de uso exclusivo das Forças Armadas e, muitas vezes, desenvolvidos para situações adversas, esses modelos são isentos da obrigatoriedade de sistemas como airbags e freios ABS, por exemplo. O controle de estabilidade é outro item não obrigatório em veículos de uso bélico.

Já a habilitação para conduzir um blindado exige treinamento especial. Todo militare que dirige esse tipo de veículo deve possuir Certificado de Habilitação Militar válido e estar ativo nas Forças Armadas, exceto em caso de mobilização.

Nenhum comentário até agora.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *