Como o marketing online pode ajudar o mercado de reposição de peças

Notícias 10 de outubro de 2016 Talita Morais 0

O uso de ferramentas online para a venda de peças automotivas podem se tornar um bom modelo de negócio. Isso porque os serviços realizados por meio da internet podem acelerar o processo para adquirir peças de reposição.

Para Frederik Eilers, consultor sênior da Roland Berger na América Latina, os canais online de vendas – Ebay e Amazon, por exemplo –, fazem com que a cadeia do pós-venda alavanque os níveis de distribuição. Porém, para transformar a internet em uma ferramenta de trabalho, é importante entender que ainda existe alguns desafios no Brasil, bem como a diversidade de portfólio e o baixo preparo da rede.

“A venda online de peças automotivas já é usada para produtos de baixa tecnologia, como é o caso de limpadores de para-brisa, filtros (ar, óleo e combustível), luzes, pneus, pastilhas de freio, discos de freio e plugs para aquecedor. No País, a ferramenta ainda está em estágio inicial de desenvolvimento e poderia ser utilizada para vender mais do que acessórios e pequenos produtos”, disse Eilers.

Porém, de acordo com Eilers, o marketing online pode ser um tópico relevante para a reposição de peças, já que a demanda nas oficinas é grande e o estoque não é bem controlado. Como solução, a oficina pode realizar uma propaganda regional online.

Como explica o consultor, além de ser um serviço de inovação, a atividade online melhora a atratividade das oficinas automotivas. Para isso, devem oferecer suporte e treinamento, catálogo online e confiança na qualidade – é imprescindível ter um entendimento profundo da situação do negócio para disponibilizar serviços que realmente adicionem valor.

Crescimento do mercado

Para Eilers, o valor gasto em reposição pelo consumidor em 2020 vai atingir R$ 142 bilhões. “Isso porque ocorrerá um aumento de serviços e, com isso, a necessidade da qualificação dos profissionais de reparo”, explica o consultor sênior.

Ainda de acordo com o grupo Roland Berger, o crescimento do mercado será impulsionado pelo comportamento do consumidor e frota. Os principais fatores que influenciam a demanda por peças de reposição se dão pelo perfil do condutor, gastos em manutenção, valor médio dos veículos e durabilidade das peças – com a evolução tecnológica, há um aumento na durabilidade das peças e menor troca de peças.

Para Gilmar Meneghini, diretor de operações do grupo Dpaschoal, empresa especializada na distribuição de autopeças, o ambiente do mercado de reposição automotiva é concorrido, gerando, assim, a necessidade de reinventar para mudar o cenário e trazer novas perspectivas para o cliente.

“Para mudar esse cenário, oferecemos um sistema de gestão de relacionamento com o cliente online e um portfólio de produtos composto por mais de 70 fornecedores. A DPK vem apostando na formação dos gestores de logística, atuando diretamente na melhoria dos processos e planejamento”, disse Meneghini.

Outro exemplo de inovação é o curso de capacitação Maxxi Trainning, também criado pela DPK. Voltado para a atualização dos reparadores da área, por meio do curso online é possível desenvolver métodos para acompanhar a evolução do mercado.