Tags

Serviços

Como fazer a transferência do documento do carro

Créditos: Foto: Divulgação
5 agosto, 2015
Rodrigo Loureiro

Processo é trabalhoso, mas obrigatório, e se não for realizado, motorista está sujeito a apreensão do carro e multa de R$ 127,69

Por lei, quando um carro é comprado em outro município, o novo proprietário tem de fazer a transferência do documento para a cidade onde reside. Caso não faça isso em até 30 dias depois da aquisição, ele corre o risco de ter o automóvel apreendido, perder cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e pagar multa de R$ 127,69.

É bem verdade que o trâmite para a transferência é em parte burocrático, ainda assim é possível de ser realizado sem a ajuda de um despachante. Para isso, a primeira coisa a fazer é reunir a documentação exigida (veja lista completa abaixo) e dirigir-se até uma unidade do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) a fim de verificar se há algum fator que impossibilite o serviço. De acordo com o próprio órgão, as buscas são por multas não pagas ou por bloqueios no veículo.

O passo seguinte consiste em levar o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) às agências bancárias conveniadas e pagar a taxa (R$ 163,63 se o licenciamento já tiver sido efetuado no ano ou de R$ 235,88 caso contrário) para a emissão do novo certificado. Se houver débitos pendentes referentes ao seguro obrigatório e ao IPVA ou multas, eles também deverão ser quitados no local. O valor ainda sofre acréscimo de mais R$ 106,40 para a troca das placas.

Foto: Edson Lopes Jr/A2 FOTOGRAFIA/Governo do Estado de São Paulo/Flickr
14399850352_9b200ffa95_k
Parte do processo de transferência é feito em unidades do Detran

Feito o pagamento, o proprietário receberá um comprovante, que deverá ser entregue à unidade do Detran. Lá, o motorista ainda poderá solicitar a realização da Pesquisa Renavam pra verificar se há algum outro impedimento. O órgão de trânsito informa que essa averiguação também pode ser realizada na primeira visita ao local.

Em seguida é preciso que o automóvel passe por uma  vistoria de identificação, na qual os números de chassi e do motor são comparados com os constantes no documento. Na capital paulista, o procedimento é realizado em unidades específicas do Detran ou por empresas credenciadas. Em outras cidades ou estados, é preciso se informar nos postos de atendimento do órgão de trânsito.

Na sequência, o condutor terá de retornar até a unidade onde iniciou o processo para a emissão do novo documento – e para  isso, não deve se esquecer de levar toda a documentação exigida. Por fim, no próprio posto do Detran. será necessário fazer a troca das placas.

Documentos necessários:

– Documento de identificação pessoal (RG ou CNH) – original e cópia simples

– Cadastro de Pessoa Física (CPF) – original e cópia simples

– Comprovante de endereço em nome do proprietário do veículo – original e cópia simples

– Certificado de Registro de Veículo (CRV) – original com firma reconhecida por autenticidade do vendedor e do comprador

– Laudo de vistoria de identificação veicular – original

– Comprovante de pagamento de débitos (tributos, multas ou encargos pendentes) – original (opcional, caso exista)

– Formulário Renavam – duas vias originais preenchidas (pode ser encontrado aqui)

 

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book com dicas para cuidar melhor de seu veículo.